Demanda por 5G na China pode ter impacto positivo no mercado global de smartphones


Depois de três anos em retração, projeção do IDC é de que em 2020 sejam embarcados cerca de 1,4 bilhão de dispositivos. Na Europa, Samsung garantiu a expansão e boa performance do continente no 3º tri

Negócio fotografia desenhado por Creativeart - Freepik.com
Freepik.com

Depois de três anos de queda, o mercado global de smartphones poderá esboçar algum tipo de reação. Pelo menos é o que projeta o IDC, que aposta no embarque de 1,4 bilhão de smartphones no próximo ano, o que representaria um pequeno crescimento de 1,5% sobre o ano anterior. Desse total, aproximadamente 190 milhões seriam referentes a aparelhos com a tecnologia 5G do qual a China deverá se transformar no maior mercado. Já no terceiro trimestre deste ano, a Samsung impulsionou o bom resultado do mercado europeu que, de acordo com a Canalys, teve uma expansão de 8% superando os países asiáticos que, reunidos, tiveram um incremento de 6%.

Ryan Reith, vice-presidente da consultoria, considera que os recentes desenvolvimentos na China, somados às atividades agressivas da cadeia de suprimentos de smartphones e de OEMs fizeram com que a empresa aumentasse a previsão de 5G no curto prazo. Na sua avaliação, há poucas dúvidas de que a China se tornará rapidamente o principal mercado em volume de dispositivos da quinta geração, mas haverá ainda a contribuição de outros mercados importantes como Estados Unidos, Coreia do Sul, Reino Unido e Canadá.

“A verdadeira história aqui envolve preços. Estamos muito confiantes de que os preços dos smartphones 5G cairão rapidamente para que esse segmento de mercado se expanda”, observou. Após três anos seguidos de queda de remessas de smartphones, há pouco espaço para o 5G aumentar ASPs (preço médio de venda, em português), disse a IDC.

Bom desempenho europeu

No terceiro trimestre deste ano a liderança em vendas globais foi do mercado europeu, superando Ásia/Pacífico e marcando a melhor performance já registrada pelo continente na história. Segundo a empresa de pesquisas Canalys, esse resultado foi impulsionado por um crescimento significativo das vendas de smartphones Samsung. A empresa coreana embarcou para a Europa 18,7 milhões de unidades no período. Isso lhe proporcionou um market share de 35,7% e um crescimento de 26% em volume sobre o mesmo período do ano passado.

Em segundo lugar na Europa esteve a Huawei, com a venda de 11,6 milhões no trimestre e registrando cota de mercado de 22,2%. Na terceira colocação ficou a Apple, com market share de 18,6% quatro pontos percentuais menor do que o terceiro trimestre de 2018.

Anterior Mobilidade dispara na liderança do comércio eletrônico
Próximos CADE mantém medida preventiva contra venda casada de Itaú e Rede em meios de pagamento

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *