Demanda por fibra fica abaixo do previsto no Brasil


shutterstock_Flegere_telefonia_fixa_Infraestrutura_concessionaria_operadora_cabo_fioO mercado brasileiro de fibra óptica não cresceu como a indústria esperava em 2015. O país deve encerrar o ano com consumo de 4,4 milhões de quilômetros de fibra óptica. O número é menor que a expectativa do setor, de vendas entre 4,5 milhões e 5 milhões de quilômetros no Brasil.

A informação é da fabricante Furukawa. Segundo o presidente da empresa, Foad Shaikhzadeh, as vendas caíram por diversos fatores. Contribuíram as condições macroeconômicas, que afetaram as receitas da empresa em toda a América Latina. Localmente, os mercados compraram menos.

Em compensação, a desvalorização das moedas na região impulsionaram as exportações. As vendas ao exterior cresceram 90% neste ano, ou cerca de 40% descontada a desvalorização do câmbio. Enquanto em 2014 as exportações representavam 18% do faturamento, em 2015 devem significar 28%. O resultado permitirá à empresa ampliar as receitas em 15% em 2015. Até 2020, ele espera que as exportações representem de 40% a 50% do faturamento.

“O Brasil cresceu praticamente zero. As vendas para operadoras andaram de lado, que diminuíram os investimentos na medida e que o dólar se valorizou. Diminuímos também a venda em OPGW e em cabeamento estruturado. Na área de provedores, cresceu”, resume o executivo.

Juntamente com as exportações, os provedores representam a grande oportunidade da empresa. Em 2014, a quantidade de acessos ópticos nas mãos dos ISPs aumentou 40% em relação a 2013. Em 2015, a estimativa é de crescimento de 39% sobre 2014. A Furukawa vende para pouco mais de 1 mil provedores brasileiros.

Para 2016, Shaikhzadeh acredita em novo crescimento de 15% nas receitas da empresa. “Com a entrada no portfólio dos produtos da AsGa, a gente espera uma situação melhor. Também já estamos sentindo os benefícios das Olimpíadas na venda de cabos estruturados, já que a maioria das locações está sendo cabeada por nós”, ressalta. Ele falou durante o evento Broadband Conference Trade Show, que acontece em Foz do Iguaçu (PR) até dia 28*.

*O jornalista viaja a convite da Furukawa

Anterior Urna eletrônica terá voto impresso
Próximos Claro reduz celular em 95% no plano pós-pago

1 Comment

  1. Vagner Ornelas
    26 de novembro de 2015

    As chances de canibalização dos serviços das operadoras é altíssima, uma vez que tendo uma boa conexão por Fibra, o usuário pode utilizar de Telefone IP via Internet (VOIP), Netflix e outros Over the Top (OTT´s). Creio que este seja o real motivo da demanda por Fibra ficar abaixo do esperado…