Dell lança solução educacional


A Dell Brasil lançou hoje a solução Sala de Aula Conectada, em comemoração aos dez anos de presença da empresa no país. O produto, que deverá ser comercializado no próximo ano, está em teste em 26 escolas públicas de Hortolândia (SP). Por uma parceria firmada com o governo do Estado de São Paulo, a empresa …

A Dell Brasil lançou hoje a solução Sala de Aula Conectada, em comemoração aos dez anos de presença da empresa no país. O produto, que deverá ser comercializado no próximo ano, está em teste em 26 escolas públicas de Hortolândia (SP). Por uma parceria firmada com o governo do Estado de São Paulo, a empresa doou os equipamentos e o governo garante a conexão. A Sala de Aula Conectada oferece um pacote modulável composto por hardware, software, capacitação de professores e conteúdos educacionais, que pode ser customizado de acordo com as necessidades de cada instituição.

Nas 31 salas de aula de 5ª série do ensino fundamental e 1º ano do ensino médio onde está implantada, a Sala de Aula Conectada opera, no momento, com uma lousa digital, um desktop, um kit multimidia, uma impressora e programas para apoio a aulas de matemática e de português – conteúdos desenvolvidos em parceria com o Centro de Estudos e Pesquisa Aplicada da Universidade de São Paulo. Na segunda fase, ainda sem previsão de início, serão distribuídos netbooks para todos os alunos. A empresa não revela quanto foi investido nesse piloto, nem as expectativas de demanda comercial. Mas o diretor de Soluções Verticais, Ricardo Velasco, informa que começará ainda este ano, no Brasil, a produção dos equipamentos.

Em visita para a comemoração dos dez anos da Dell Brasil, Paul Bell, presidente do Segmento Public da Dell Inc. disse que o programa Um Computador por Aluno (UCA), do governo federal, precisa ser revisto, pois visa exclusivamente a compra de máquinas. Peter Wiegandt, diretor geral da Dell para a América Latina, contou que a Sala de Aula Conectada foi implantada no México nos mesmos moldes que no Brasil: “Começamos com um piloto e depois vencemos uma concorrência pública. O governo ficou responsável pelo conteúdo educacional e nós fornecemos os equipamentos e serviços”.

Anterior Vivo aumenta tráfego por cliente
Próximos Valente espera decisão sobre anuência para compra da GVT antes do dia 19