Decisão sobre presença da Huawei no Brasil será tomada com base em fatos, diz Pontes


O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Marcos Pontes reiterou hoje, 8, a jornalistas que não tem “competência para determinar que uma empresa fique ou não no país”, cabendo a decisão ao presidente Jair Bolsonaro.

O ministro participava de evento na prefeitura de São Paulo. Ali, respondeu a questionamentos sobre um possível banimento da Huawei do mercado brasileiro em função de alinhamento com o governo norte-americano de Donald Trump – que vem pedindo a aliados que deixem de consumir produtos de rede da fabricante chinesa.

Pontes afirmou, no entanto, que o MCTIC não fez análises sobre o reflexo de tal banimento ou de quais ameaças a empresa chinesa ofereceria à segurança nacional. Seja qual for a decisão, sua implementação não seria rápida, garantiu.

“Você não muda a estrutura de tecnologia de um país de uma hora para outra, qualquer coisa que for feita, não será de forma imediata. Qualquer decisão que venha a ser tomada deverá ser tomada com base em fatos, e não em suposições”, afirmou.

Segundo ele, uma forma de evitar o banimento seria a criação de um centro de inteligência artificial e cibersegurança no Brasil. A construção do centro ainda não está definida, nem o local onde ele seria erguido. “Pode ser que seja em São Paulo”, disse.

Anterior Dataprev fecha 2018 com alta de 10,16% do lucro líquido
Próximos Pós-pago é o serviço mais bem avaliado na pesquisa da Anatel

1 Comment

  1. 15 de Março de 2019
    Responder

    Agora eu vi uma notícia preocupante, porque Trump quer banir a huawey? Porque huawey é melhor que cisco, huawey permite que você utilize te oda a capacidade do equipamento, enquanto Cisco só com licença, enquanto os Estados Unidos querem limitar a capacidade de comutação de dados, os chineses liberaram com força, então a ameaça é os EUA na verdade.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *