Decisão sobre faixas de 2,3 GHz e 3,5 GHz é etapa para leilão 5G


A Anatel dá mais um passo para a realização de um mega leilão 5G, no início de 2020. Na reunião do seu  Conselho Diretor, nesta quinta-feira, 23, foi aprovada a destinação e o regulamento sobre condições de uso das faixas de radiofrequências de 2,3 GHz e de 3,5 GHz. Para o presidente da agência, Leonardo de Morais, a destinação das duas faixas de frequências será extremamente importante para o sistema e a decisão vai possibilitar a oferta de mais capacidade para o desenvolvimento do 5G no país.

A faixa de 2,3 GHz é foi destacada pela harmonização mundial dos sistemas IMT (International Mobile Telecommunications, na sigla em inglês), enquanto a faixa de 3,5 GHz é tida por muitos como a porta de entrada para as redes de altíssima velocidade da quinta geração de telefonia móvel.

Segundo a Anatel, a destinação das frequências levou em consideração blocos, arranjos, distribuição geográfica e contrapartidas a serem exigidas das proponentes vencedoras da futura licitação, até possíveis medidas preventivas e corretivas para mitigar eventuais interferências prejudiciais entre os sistemas de radiocomunicação dos usuários dessas faixas e suas adjacentes.

Para a faixa de 3,5 GHz, em particular, é preciso assegurar que a sua ocupação não prejudicará o funcionamento dos receptores de sinais de televisão por parabólica na banda C estendida dos sistemas satelitais, ressalta a agência.(Com assessoria de imprensa)

Anterior Chegam ao mercado as contas digitais associadas à experiência do cliente. O banco vai mudar?
Próximos SpaceX coloca 60 satélites em órbita de uma só vez