Debate sobre frequências reúne secretários do MiniCom, Anatel, radiodifusor e tele


Os secretários de telecomunicações, Maximiliano Martinhão, e de Comunicação Eletrônica de Massas, Genildo Lins, estão entre as personalidades presentes ao 28 Encontro Tele.Síntese, promovido pela Momento Editorial, e que acontece em Brasília no dia 25 de outubro. Martinhão fará a abertura, com uma avaliação sobre as necessidades dos serviços móveis para o Plano Nacional de Banda larga.

Em seguida, no primeiro painel, destinado ao debate sobre o melhor uso da faixa de 700 MHz e seu dividendo digital, irá apresentar a posição do Minitério das Comunicações o secretário de Serviços de Comunicação Eletrônica, Genildo Lins. Participarão ainda desta Mesa, Paulo Ricardo Balduino, diretor da Abert; e Eduardo Levy, diretor-executivo do SindiTelebrasil, além de André Barbosa, assessor da Casa Civil da Presidência, e Francisco Giacomini, diretor da Qualcomm.

Ainda pela manhã será também discutida a melhor modelagem para a licitação da faixa de 450 MHz, com as palestras de Roberto Pinto Martins, superintendente de Serviços Públicos da Anatel, Paulo Mattos, diretor de Regulamentação e Planejamento Estratégico da Oi e Ricardo Tavares, diretor da Ericsson.

À tarde será a vez dos debates sobre as faixas de 3,5 GHz, cujo edital já foi lançado para consulta pública pela Anatel, mas há questionamentos sobre as interferências que o novo serviço podem provocar nas antenas parabólicas de TV; e sobre a faixa de 2,5 GHz, destinada para a 4G, mas que está sendo questionada pelas atuais operadoras quanto à melhor hora para sua venda. Estarão neste debate os diretores da Telefônica/vivo, Marcos Bafutto; da Embratel, Oscar Petersen; e da TIM, Mario Girasole. Além de José Leite, consultor e ex-conselheiro da Anatel e Marcos de Oliveira, gerente-geral da Anatel.

Algumas vagas ainda estão abertas, e as inscrições podem ser feitas no próprio sítio do Tele.Síntese

Anterior Resolução do CGI sobre Norma 4 sai com um mês de atraso, devido à polêmica sobre o provedor.
Próximos SLTI fica responsável pela gestão de segurança da informação do governo