Datora Telecom aponta falta de padrão como entrave para o avanço da conexão M2M


Daniel Fuchs, diretor de Inovação da Datora Telecom, assinalou que ainda faltam muitos passos para que a Internet das Coisas e a conexão M2M (máquina a máquina)  deslanchem no Brasil e no mundo. E ele fala com a propriedade de quem dirige uma das poucas MVNOs brasileiras dedicada ao mercado de M2M, e recentemente adquirida pela Vodafone.

“A interoperabilidade e a padronização ainda não existem, e elas são críticas. Um rastreador de carro tem que conseguir falar com as redes de todas as operadoras. O mercado vai valer 10 vezes mais se  todos tiverem integrados, e anão virarem ilhas de dados”, alertou o executivo.

Mas já há alguns pontos positivos, assinalou, como a queda vertiginosa dos preços dos processadores e memórias. O diretor geral de Estratégia e Inovação da Intel Brasil, Fernando Martins, disse que a indústria está buscando desenvolver padrões abertos. “Pelo menos que esses padrões sejam comuns a cada verticais”, assinalou.

Fabrício Zanini, diretor técnico do Instituto de Curitiba de Informática (ICI), a primeira cidade inteligente do país, anunciou no Encontro Tele.Síntese, parceria com instituto português, CEIA, líder em mobilidade elétrica, para o desenvolvimento e venda de carros elétricos conectados.

Anterior Vivo quer ampliar parcerias para fortalecer M2M
Próximos Oi anuncia conversão de debêntures dos controladores em ações da operadora