Dados da Febraban sobre transações na internet divergem de pesquisa do Bacen


A pesquisa anual da Febraban (Federação Brasileira de Bancos) indica que, em 2009, foram realizadas 47,6 bilhões de transações bancárias, sendo que 33% tiveram origem em caixas eletrônicos (ATM) e 20% na internet (internet banking). Os números divergem da pesquisa do Sistema de Pagamentos de Varejo do Brasil, divulgada na semana passada pelo Banco Central, …

A pesquisa anual da Febraban (Federação Brasileira de Bancos) indica que, em 2009, foram realizadas 47,6 bilhões de transações bancárias, sendo que 33% tiveram origem em caixas eletrônicos (ATM) e 20% na internet (internet banking). Os números divergem da pesquisa do Sistema de Pagamentos de Varejo do Brasil, divulgada na semana passada pelo Banco Central, que atribui a origem de 31% das operações à internet, ultrapassando em 0,6% as transações registradas nos caixas eletrônicos no ano passado.

Segundo a Febraban, apesar do forte aumento do uso da internet nas operações bancárias (quase dois bilhões a mais do que em 2008), ainda não foi registrada a utilização maior dessa origem de operações das realizadas nos caixas eletrônicos. A entidade, porém, não contesta os números do Banco Central, mas diz que ainda não conseguiu apurar os métodos usados na pesquisa do Bacen. “Consultores da Febraban estão analisando as duas pesquisas para chegar a uma conclusão”, disse uma fonte da federação.

As estatísticas, atualizadas e publicadas anualmente pelo Banco Central, incluem indicadores de sistemas de pagamento de varejo e de seus instrumentos. As principais fontes de informação são: Banco Central do Brasil, bancos, câmaras e prestadores de serviços de compensação e de liquidação e emissores e credenciadores de cartões de pagamento, Bank for International Settlements (BIS) e Banco Central Europeu (BCE). Já a pesquisa da Febraban é feita com as informações dos 123 bancos associados. (Da redação)

Anterior Empresas de call center querem revisão da norma de ponto eletrônico
Próximos Senado quer opinião do cidadão sobre projetos