Dados da Anatel mostram estabilidade na banda larga fixa em outubro


A Anatel divulgou hoje, 27, dados sobre a expansão da banda larga fixa no Brasil no mês de outubro. O levantamento foi comprometido devido à falta de dados atualizados das empresas Algar e Brisanet, que não enviaram informações atualizadas.

Ainda assim, é possível ver que ainda há expansão nos contratos de banda larga fixa, embora em outubro a quantidade de adições tenha sido praticamente estável. Houve aumento de 12,9 mil contratos no mês, 0,04% de expansão.

Com isso, o serviço de banda larga fixa totalizou 30.811.007 de assinantes no país em outubro. Em 12 meses, houve aumento de 2.346.172 de assinaturas (+8,24%).

Dentre os grupos, a Claro segue líder, com o maior número de clientes. A empresa registrou no mês 9.320.788 de acessos, o que corresponde a 30,25% do mercado. Em segundo lugar ficou a Vivo, com 7.600.104 de assinantes, o que equivale a 24,67% do mercado.

Em terceiro lugar, a Oi tinha com 6.095.011 clientes, detendo 19,78% do mercado. Foi a única operadora, entre os grandes grupos, a perder clientes no mês. Sua base encolheu 0,73%. A Claro foi quem mais atraiu assinantes, responsável por 41,2 mil adições. Confira na tabela abaixo.

Operadoras 2018-09 2018-10 Saldo mês Variação %
ALGAR (CTBC TELECOM) 571.977 573.380 1.403 0,25%
BT 23.276 23.141 -135 -0,58%
CABO 111.939 112.819 880 0,79%
OI 6.140.126 6.095.011 -45.115 -0,73%
Outras 5.937.227 5.943.223 5.996 0,10%
PREFEITURA DE LONDRINA/COPEL 304.188 306.429 2.241 0,74%
SKY/AT&T 365.695 362.474 -3.221 -0,88%
TELECOM AMERICAS 9.279.498 9.320.788 41.290 0,44%
TELECOM ITALIA 465.826 473.614 7.788 1,67%
TELEFÔNICA 7.598.234 7.600.104 1.870 0,02%
Total Geral 30.798.009 30.811.007 12.998 0,04%

Velocidades

Conforme os dados da agência, a quantidade de acessos com velocidades acima de 34 Mbps não para de crescer, enquanto os planos mais lentos só perdem espaço. Em outubro, houve expansão de 4,8% nos acessos de mais de 34 Mbps, que já são 7,36 milhões. Isso equivale a 23,9% do mercado de banda larga fixa.

O avanço se dá em substituição aos pacotes de 2 a 12 Mbps, cuja base encolheu 1,41%, e agora tem 10,1 milhões de contratos. Em substituição aos planos entre 512 Kbps e 2 Mbps, que diminuíram 2,51%, para 4,9 milhões de acessos. E em substituição às conexões lentas, de até 512 Kbps, que encolheram 10,39%, passando a somar 428 mil.

Anterior 5G vai exigir que teles compartilhem mais suas redes, avisa presidente da Anatel
Próximos Tecnologia de baixo custo é um dos desafios da 5G no Brasil, avalia Martinhão

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *