Custo de ligações cai para quem liga pouco, mas aumenta para quem usa muito


Um estudo de mercado realizado pela Pricez e a Teleco mostra que o custo de telefonia móvel ao consumidor está menor no Brasil. De abril a dezembro de 2012 houve uma redução de 35% no custo do serviço para clientes com baixo consumo e redução de 12% para clientes com consumo médio. Mas, para clientes de alto consumo, aparentemente a competitividade é menor e o cliente tem sido menos sensível a preço já que o mercado de planos de alto valor sofreu um aumento de 8% nos preços.

Os dados divulgados hoje integram o “Prêmio Melhor Oferta – Natal 2012’ que traz detalhes e análises dos atuais planos e promoções no mercado de telefonia celular para o período de compras de Natal.

De acordo com o levantamento, Oi e Claro oferecem as melhores opções para uso de recarga no segmento pré-pago e os melhores preços por nível de consumo. A Oi foi líder nos menores preços para os clientes de médio e alto custo em todo o Brasil, chegando a ser 50% mais barata que a operadora mais cara.

A Claro manteve a liderança nacional para os perfis de baixo consumo, com pacotes que permitem que seus clientes liguem para celulares de outras operadoras (oferta exclusiva da Claro) e o Fala Mais Brasil que cobra R$0,21 por chamada, o qual provocou uma redução de 35% nos preços.

A TIM aparece como sendo a operadora com estrutura de ofertas mais simples e constantes do mercado, oferecendo vantagens para clientes com alta duração de chamadas (acima de 5 min. de duração média), além de chamadas de longa distância TIM-TIM com os mesmos preços de ligações locais.

O prêmio é elaborado com base em um estudo exaustivo e completo de todas as ofertas, promoções e tarifas das quatro principais operadoras (Vivo, Claro, TIM e Oi) ao longo de todos os 67 DDDs do país. Os dados são processados detalhadamente através de um software desenvolvido para o projeto. (Fonte: assessoria de imprensa).

 

 

Anterior GSMA elege novos membros do Conselho
Próximos Samsung Galaxy SIII na versão 4G chega ao Brasil