CTBC estuda estratégia para VoIP


Por Denise Sammarone O mercado de serviços VoIP (Voz sobre Internet Protocol) deve crescer acima dos 60%. Segundo José Eduardo Povoa, gerente de desenvolvimento e implantação de novos produtos da CTBC e ACS, essa é a expectativa para 2007. “A tecnologia se disseminou, de maneira concreta, no ano passado, e se tornou sinônimo de preços …

Por Denise Sammarone

O mercado de serviços VoIP (Voz sobre Internet Protocol) deve crescer acima dos 60%. Segundo José Eduardo Povoa, gerente de desenvolvimento e implantação de novos produtos da CTBC e ACS, essa é a expectativa para 2007. “A tecnologia se disseminou, de maneira concreta, no ano passado, e se tornou sinônimo de preços mais baixos. A tendência é que os usuários continuem migrando em ritmo intenso, porém sem ruptura”, afirma.

A empresa não fala no número da sua base em VoIP, mas, segundo Povoa, diante da expectativa de novos negócios, a CTBC está definindo uma nova estratégia de competição. “Com a explosão desse mercado e a entrada de novos competidores, as operadoras de telefonia convencional perderam market share”, lembra o executivo. Para o novo posicionamento, explica Povoa, a operadora está analisando a área de concessão – basicamente região sudeste – por microrregiões. “É diferente o comportamento dos usuários em cada delas. Não é possível fechar um serviço igual para quem mora nas capitais e para o interior”, avalia.

NGN, também em espera.

A operadora do grupo Algar, está estudando também, qual é o melhor ritmo de migração da rede atual para IP (NGN – New Generation Netowork). “E o planejamento não deve sair antes do meio do ano. Não é preciso ter pressa”, informa Povoa. Atualmente, 15% dos usuários – ou 200 mil usuários – já trafegam na rede de IP. A expectativa é que a migração de todos os terminais, só aconteça em 5 ou 7 anos.

Anterior FNDC quer maior diversidade em Conselho de Comunicação Social
Próximos Celulares derrubam produção industrial do Amazonas