Cresce o número de empresas do setor eletroeletrônico com redução de vendas


Sondagem de janeiro de 2014, realizada pela Abinee (Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica), registrou um número maior de empresas cujos negócios caíram do que aquelas que indicaram crescimento, fato não observado desde o final do ano de 2012. De acordo com o levantamento, 46% das empresas consultadas indicaram queda em suas vendas na comparação com o mesmo mês do ano passado.

A pesquisa identificou, também, que os negócios permaneceram estáveis para 17% das empresas e cresceram para 37%. As empresas do setor estão trabalhando com cautela. Dentre os principais entraves comentados estão: a elevada carga tributária, incertezas políticas, situação econômica preocupante do país, instabilidade do câmbio, aumento da inflação, dificuldade de acesso ao crédito e baixo crescimento do PIB.

O levantamento cita os dados do IBGE, que apontam alta de 3,4% da produção do setor eletroeletrônico em de dezembro de 2013 acima do resultado de dezembro de 2012. Porém, ressalta que apenas a produção de material eletrônico, aparelhos e equipamentos de comunicações (+44,0%) registraram crescimento, em virtude da expansão de 66% dos eletrodomésticos da “linha marrom”.

No acumulado do ano de 2013, a produção do setor cresceu 2,1% em relação a 2012. Entretanto, na comparação com o ano de 2011, verifica-se queda de 6,4%.

A Abinee salienta que a atividade do setor continuou dependendo do mercado interno uma vez que as exportações não deram sinais de recuperação. No mês de janeiro de 2014, as exportações de bens eletroeletrônicos somaram US$ 494 milhões, resultado um pouco acima do atingido em janeiro de 2013 (US$ 487 milhões), diz a sondagem.(Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Ericsson e Facebook se unem para laboratório que simula redes móveis no mundo
Próximos Telefónica, LG, Samsung e Sony Mobile, juntas para estimular dispositivos "usáveis"