Cresce a base pós paga da Telesp Celular


A Telesp Celular encerrou 2005 com uma base de 10,5 milhões de clientes (14% maior do que a de 2004), dos quais 17% pós-pagos. No último trimestre, a participação de mercado da operadora diminuiu 0,9 p.p. em relação ao 3T05, para 49%, market share 6% menor do que o do 4T04 e do que o …

A Telesp Celular encerrou 2005 com uma base de 10,5 milhões de clientes (14% maior do que a de 2004), dos quais 17% pós-pagos. No último trimestre, a participação de mercado da operadora diminuiu 0,9 p.p. em relação ao 3T05, para 49%, market share 6% menor do que o do 4T04 e do que o de todo o exercício de 2004.

Na comparação trimestre a trimestre, as adições líquidas aumentaram 93%, atingindo 491 mil assinantes, 3% a mais do que no 4T04. No ano, as adições líquidas de 1,2 milhão de clientes foram 28% menores do que o acumulado de 2004.

O custo de aquisição do cliente (SAC) do último trimestre estava em R$ 151,00, 9% abaixo do 3T05 e igual percentual menor do que no 4T04. No acumulado de 2005, o SAC de R$ 159 ficou praticamente no mesmo nível de 2004 (R$ 160,00).

Receitas

O churn mensal no 4T05 foi de 1,4%, 0,2 p.p. abaixo do 3T05. A ARPU blended (pós e pré) cresceu 6%, para R$ 33,00, no quarto trimestre, e caiu 13% no ano, para R$ 32,00, em função do recuo da receita do serviço pré, de 20% entre 2005 e 2004. A do pós foi de R$ 103,00 em dezembro, com avanço de 5% sobre o trimestre anterior. No ano, o nível da receita do pós foi a mesma de 2004: R$ 96,00.

A Telesp Celular obteve receita bruta de R$ 1,6 bilhão no quarto trimestre de 2005, 8% maior do que a alcançada em igual período de 2004. No ano, a receita bruta avançou 3%, para R$ 6 bilhões. A receita líquida de serviços foi de R$ 998 milhões no 4T05, 10% maior do que a do 3T05, e de R$ 3,7 bilhões no ano, 1% a mais do que em 2004.

A rubrica “outros serviços”, que inclui comunicação de dados, totalizou R$ 71 milhões no 4T05, com aumento de 14%, e R$ 258 milhões no ano, com crescimento de 20%.

Custos

Os custos operacionais da operadora aumentaram 19% no 4T05, para R$ 907 milhões; e 12% no ano, para R$ 3 bilhões. A provisão para devedores duvidosos feita pela Telesp Celular foi de R$ 251 milhões no último trimestre (mais 59%) em relação ao 3T05, e de R$ 273 milhões no ano (mais 41%).

O EBITDA da Telesp Celular recuou 11% no 4T05, para R$ 288 milhões, e 18% no acumulado do ano, para R$ 1,3 bilhão. No quarto trimestre, o lucro da operadora atingiu R$ 5,4 milhões, com queda de 84% em relação a igual período de 2004, e no ano, foi 72% menor – R$ 131 milhões.

Cai lucro da TCO

A Vivo Centro-Oeste perdeu 6 p.p. de market share no exercício de 2005, encerrando o ano com participação de 45,5% e uma base de 6,8 milhões de clientes, 17% maior do que a de 2004. No quarto trimestre, a base aumentou 4%. A base pós diminuiu 1% no 4T05, para 970 mil clientes, e cresceu 3% no ano. A base pré aumentou 5% no trimestre e 20% em 2005, para 4,9 milhões de assinantes, o equivalente a 72% da base total.

As adições líquidas de clientes da TCO cresceram 240% no 4T05 e diminuíram 42% no acumulado de 2005. O SAC caiu 18% no trimestre, e aumentou 19% no ano. A ARPU tanto do assinante pós como do pré diminuiu no trimestre e no ano.

O lucro do exercício diminuiu 32% no 4T05, para R$ 63 milhões, e 33% no ano, para R$ 339 milhões. Como na Telesp e na Global, na TCO, a PDD cresceu: 101% no 4T05, para R$ 113 milhões, 229% no ano, para R$ 225 milhões.

O EBITDA e a margem EBITDA foram menores no trimestre e no ano.

Global Telecom

Em 2005, a operadora que atua no Paraná e Santa Catarina aumentou a base de clientes em 13%, para 2,9 milhões de usuários, 87% dos quais pré-pagos. Em dezembro, enquanto a base pós aumentou 23%, a pré cresceu 12%.

A Global perdeu 1,7 p.p. de participação de mercado no 4T05, para 35%, e 7% face ao 4T04, mesmo declínio acumulado em 2005, em comparação com o exercício anterior. As adições líquidas de clientes cresceram 103% no 4T05, em relação ao anterior, e foram 70% menores em comparação com o 4T04. Em todo o exercício de 2005, as adições líquidas tiveram um tombo de 63% frente a 2004.

SAC

O custo de aquisição do cliente diminuiu 19%, no 4T05, para R$ 129,00, mas cresceu 4% na comparação anual, para R$ 143,00. A ARPU do pós-pago aumentou 10% trimestre a trimestre e 8% na comparação anual. A do pré diminuiu 26% no ano e 6% no 4T05.

A Global Telecom apurou prejuízo de R$ 94 milhões no 4T05, 19% acima do valor do 3T05 e 217% maior do que o apurado no 4T04. Em 2005, as perdas acumuladas foram de R$ 271 milhões, 50% acima das de 2004.

A receita líquida da operadora cresceu 10% no 4T05, totalizando R$ 218 milhões, e 2% em todo o exercício, para R$ 821 milhões. Na Global, a PDD do 4T05 cresceu 160% face ao 3T05, atingindo R$ 42 milhões e, em 2005, as reservas acumuladas foram de R$ 72 milhões, em comparação com R$ 7 milhões em 2004.

O EBITDA diminuiu 17% no 4T05 e 23% em todo o ano de 2005.

Anterior Azevedo diz que acionistas da PT estão próximos de aceitar a OPA
Próximos Mudanças no Terra