CPqD realiza campanha de coleta de lixo eletrônico


O CPqD inicia nesta semana uma nova campanha de coleta de lixo eletrônico entre seus colaboradores. A meta é recolher, no decorrer do ano, três toneladas de materiais e equipamentos eletrônicos fora de uso – como monitores, impressoras, computadores, videocassetes, filmadoras, aparelhos de fax e TV, entre outros – que serão destinados à manufatura reversa. …

O CPqD inicia nesta semana uma nova campanha de coleta de lixo eletrônico entre seus colaboradores. A meta é recolher, no decorrer do ano, três toneladas de materiais e equipamentos eletrônicos fora de uso – como monitores, impressoras, computadores, videocassetes, filmadoras, aparelhos de fax e TV, entre outros – que serão destinados à manufatura reversa.

O objetivo é dar destinação adequada a esses produtos, evitando seu descarte em aterros sanitários comuns, onde podem levar centenas de anos para se decompor. “Hoje os resíduos eletrônicos já representam 5% de todo o lixo produzido pela humanidade”, afirma Amauri Zini, gerente de Engenharia e Serviços do CPqD. “No Brasil, a produção de lixo eletrônico é  de, em média, 3 quilos por habitante/ano”, acrescenta.

Para realizar essa nova campanha voltada para a sustentabilidade ambiental, o CPqD firmou parceria com a Oxil, empresa do grupo Estre Ambiental especializada em manufatura reversa e destinação de resíduos – processo em que os equipamentos são desmontados e têm seus componentes separados, alguns para eventual reaproveitamento. A Oxil receberá todo o lixo eletrônico recolhido entre os colaboradores do CPqD.

Serão realizadas quatro coletas durante o ano, cada uma com três dias de duração. A primeira ocorrerá nesta semana, entre amanhã e sexta-feira (10 a 12 de abril). Nesses dias, um contêiner ficará à disposição dos colaboradores, nas instalações do CPqD, para receber os equipamentos descartados. As outras três coletas estão programadas para junho (dias 5 a 7), setembro (18 a 20) e novembro (27 a 29).

Na última campanha desse tipo realizada pelo CPqD, no decorrer de 2011, foram recolhidas 5,5 toneladas de lixo eletrônico – quase três vezes o volume previsto inicialmente, que era de duas toneladas. (Fonte: assessoria de imprensa).

 

Anterior NET firma parceria com MetLife e clientes terão descontos em seguro
Próximos Investimento em P&DI das teles será voluntário, reitera Anatel.