CPqD e Datacom fecham parceria para desenvolver equipamento para rede IP com OpenFlow


O CPqD anunciou nesta quinta-feira (24) o estabelecimento de um convênio de cooperação tecnológica com a Datacom, fabricante gaúcha de equipamentos de comunicação de dados (switches e roteadores, entre outros) baseados em tecnologia IP. O foco da parceria é planejar e dar início à evolução de equipamentos e soluções nessa área, tendo como base o protocolo aberto OpenFlow e a tendência de redes definidas por software (SDN).     

“Trata-se de uma parceria estratégica, que prevê vários planos de trabalho, visando o desenvolvimento de soluções e produtos no estado da arte da tecnologia em nível mundial”, afirma Hélio Graciosa, presidente do CPqD. “É também uma excelente oportunidade de avaliar e integrar a tecnologia de controle desenvolvida no CPqD, baseada no protocolo OpenFlow, com as soluções da Datacom”, acrescenta.

O primeiro plano de trabalho, definido na assinatura do convênio, consiste em um projeto piloto envolvendo a implantação de uma rede de teste baseada na tecnologia OpenFlow, com o objetivo de integrar as soluções do CPqD e da Datacom. Esse projeto servirá de base para desenvolvimentos futuros e, ainda, para a definição do direcionamento estratégico de soluções conjuntas CPqD e Datacom.

“Com a tecnologia OpenFlow, os clientes – operadoras de infraestrutura e provedores de serviços – passam a ter a capacidade de inovar, tanto na oferta de serviços e seus modelos de negócio como na operação de seus ambientes de redes, de acordo com suas necessidades”, explica Antonio Carlos Porto, presidente da Datacom.

A empresa já dispõe de alguns produtos com suporte a essa tecnologia e, a partir da parceria com o CPqD, deverá evoluir e ampliar sua linha de soluções baseadas em OpenFlow. Mais do que isso, Paulo Roberto Cabestré, diretor da área de Redes Convergentes do CPqD, observa que essa parceria estratégica vai além da tecnologia OpenFlow. “Ela permitirá que a indústria brasileira – entre a qual se inclui a Datacom -, em cooperação com o CPqD, atue de forma mais ampla e sinérgica em novos negócios que demandem soluções de redes convergentes”, enfatiza. (Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior PRTG Network Monitor tem nova interface baseada em HTML 5
Próximos Anatel lança consulta para digitalizar comunicação dos aeroportos até 2021