CPqD desenvolve processador para redes OTN


O CPqD encomendou à TSMC (Taiwan Semiconductor Manufacturing Company) a fabricação de um processador desenvolvido no Brasil, com tecnologia de 40 nanômetros. O chip, criado nos laboratórios do CPqD, foi desenhado para ter melhor desempenho em equipamentos de redes de transporte óptico (OTN). O lote encomendado será usado unicamente para testes.

Segundo o CPqD, o desenvolvimento do chip é fundamental para a indústria de redes nacional, dependente de tecnologias importadas. Esse é o primeiro resultado de um projeto de microeletrônica, iniciado no ano passado, que tem apoio financeiro do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) e parceria da Padtec, que atua como interveniente industrial.

O processador, na verdade, um system on a chip (SoC), possui 16 milhões de transistores. Ele é capaz de fazer a manipulação e combinação de sinais com diferentes taxas de transmissão e protocolos distintos (vídeo, voz, imagem), transmitindo-os em seguida, na velocidade de 100 Gbits por segundo (Gbps).

O test chip que está sendo produzido em Taiwan estará disponível no início de 2015 para utilização em provas de conceito, que irão resultar na versão final do processador. A previsão é que o novo chip esteja pronto, para uso pela indústria, no início de 2016.

O CPqD está trabalhando, ainda, em outro projeto estratégico na área de microeletrônica: o desenvolvimento de um processador de sinais digitais (DSP, na sigla em inglês) para módulos transceptores ópticos com tecnologia de 16 nanômetros. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Oi fica de fora do leilão para comprar a TIM, acreditam analistas
Próximos CEO da AT&T Mobile teme regulação da neutralidade nos EUA