CPqD conclui desenvolvimento de sistema de rádios cognitivos


O CPqD concluiu o desenvolvimento de um sistema de rádios cognitivos que deverá contribuir para ampliar o acesso à internet em banda larga no país, por meio do uso de tecnologias de redes de acesso sem fio. O novo sistema é resultado de um projeto iniciado em 2010, que contou com o apoio do Funttel (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações), do Ministério das Comunicações, e da Finep.

“As tecnologias de rádio cognitivo permitem o aproveitamento mais eficiente do espectro eletromagnético, que hoje se encontra congestionado em função do uso cada vez mais intenso das redes de comunicação sem fio”, explica Juliano Bazzo, coordenador do projeto, que foi conduzido pela Gerência de Sistemas Sem Fio do CPqD. “Uma das funcionalidades do rádio cognitivo é detectar as frequências do espectro eletromagnético que não estão sendo utilizadas ou que têm pouca interferência e, por meio de algoritmos específicos, fazer a alocação dinâmica nesses espaços vazios”, acrescenta.

Um dos resultados do projeto desenvolvido no CPqD é uma plataforma de roteador mesh cognitivo, que deverá se transformar em produto no futuro – quando o acesso dinâmico ao espectro for regulamentado no país. Outro resultado importante foi a implantação, nas instalações do CPqD, em Campinas, da primeira rede experimental cognitiva brasileira com características reais. “Trata-se de um ambiente real de testes, onde é possível medir o desempenho do sistema e acessar a internet sem fio por meio de uma rede cognitiva”, afirma Bazzo.

O projeto também envolveu o desenvolvimento de algoritmos de cognição, que resultaram em pedidos de patente (já depositados) e em registros de software. (Fonte: assessoria de imprensa)

Anterior Anatel terá que aprovar qualquer alteração no quadro societário da CorpCo, a fusão Oi /PT
Próximos Anatel quer cadastrar torres vendidas e postes no sistema de oferta no atacado