Costa quer manter empregos na fusão Oi-Brt e Falco diz que cortes serão poucos


O presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, minimizou hoje a possibilidade de demissões em decorrência da fusão com a Brasil Telecom. “Está-se criando uma grande empresa nacional, com muita vontade, com uma ambição muito grande de crescer e de repente as pessoas estão preocupadas com coisas que não vão exatamente nesta direção”, lamentou. Ele disse …

O presidente da Oi, Luiz Eduardo Falco, minimizou hoje a possibilidade de demissões em decorrência da fusão com a Brasil Telecom. “Está-se criando uma grande empresa nacional, com muita vontade, com uma ambição muito grande de crescer e de repente as pessoas estão preocupadas com coisas que não vão exatamente nesta direção”, lamentou. Ele disse que é muito mais provável a criação de novas oportunidades do que o caminho contrário.

-Não estou dizendo que não haverá demissão. Obviamente que nós nunca teremos dois diretores de recursos humanos, porque não cabe. Estou dizendo que uma empresa que nasce com a volúpia de crescer, um dos recursos fundamentais é o humano”, justificou Falco. Ele disse que as negociações para a fusão continuam, mas não tem novidades.

Já o ministro das Comunicações, Hélio Costa, disse que está conversando com o presidente Lula, com a ministra Dilma para fazer a defesa intransigente dos postos de serviços das duas empresas que vão eventualmente se consolidar. Ele quer evitar que aconteça o mesmo que ocorreu na época das privatizações.

Segundo Costa, há estudos sobre a fusão da Oi com a Brasil Telecom muito otimistas, que indicam a redução de custos como conseqüência da produção em escala. “Esses estudos serão importantíssimos para que a nova empresa pratique uma tarifa menor, beneficiando os usuários”, completou.

Anterior Vivo vai comprar mais ações da Telemig Celular
Próximos TVA quer o WiMAX para também oferecer serviço de voz