Costa defende volta imediata da venda do Speedy


O ministro das Comunicações, Hélio Costa, defendeu hoje o fim da proibição à venda do Speedy pela Telefônica. “O castigo foi merecido, foi cumprido, mas não pode prejudicar o consumidor”, avalia, mas acha que a empresa já mostrou disposição, planejamento e investimentos para corrigir as falhas. “Temos que fazer isso o mais rápido possível”, disse. …

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, defendeu hoje o fim da proibição à venda do Speedy pela Telefônica. “O castigo foi merecido, foi cumprido, mas não pode prejudicar o consumidor”, avalia, mas acha que a empresa já mostrou disposição, planejamento e investimentos para corrigir as falhas. “Temos que fazer isso o mais rápido possível”, disse.

A suspensão da comercialização do serviço de banda larga foi feita por meio de medida cautelar, adotada pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) em 22 de junho passado, após quatro falhas no serviço num prazo inferior a 12 meses. Na semana seguinte a da suspensão da venda do Speedy, a Telefônica apresentou plano de estabilização do serviço e, na sexta-feira passada (17), anunciou o cumprimento das ações propostas, apresentando à agência o pedido de revisão do ato.

Para o ministro, o efeito da pena que foi imposta já é sentido. “Houve repercussão nacional, a empresa está consciente de que precisa se modernizar, investir no setor, modernizar o atendimento, tudo isso foi resultado da pena”, disse.

Anterior TIM dá bônus de R$ 500 para clientes pré-pagos
Próximos Ministro apresenta obrigações para edital da faixa de 450 MHz