Correios têm pequeno lucro, mesmo com redução de provisão de R$1 bi para o fundo de pensão


A Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) publicou hoje no Diário Oficial da União (DOU) o resultado operacional de 2014. Em mais de seis páginas de balanço, somente nas notas explicativas é que a empresa justifica a diminuição de R$ 1,086 bilhão (decisão que teve o voto contrário do representante dos funcionári0s, registrado em ata) de provisão para o fundo de pensão. O lucro líquido do período foi de R$ 9,9 milhões. O rombo do fundo de pensão é de quase R$ 6 bilhões.

Na sexta-feira passada foi assinado um TAC entre a entidade e a a associação dos funcionários deixando para 2016 o pagamento das contribuições extras pelos funcionários, aposentados e pensionistas, além dos Correios. O Postalis tem até o fim deste ano para apresentar uma nova solução para resolver o rombo. As contribuições extras foram determinadas aos quase 76 mil funcionários, aposentados e pensionistas – além dos Correios – para resolver o rombo do plano de benefício definido (BD). Foi decidido que o desconto mensal no contracheque seria de 25,98% do valor previsto para o benefício.

Resultado

O lucro de 2014 foi de R$ 9,9milhões, o Retorno sobre o Patrimônio Líquido (RPL) foi de 0,27% e o Valor Econômico Agregado (EVA) foi de – R$ 416 milhões. A receita de vendas cresceu 8,4 %, passando de R$ 15,4 bilhões em 2013 para R$ 16,6 bilhões em 2014. A receita total cresceu 6,2%, passando de R$ 16,6 bilhões para R$ 17,7 bilhões. O montante investido atingiu R$ 551 milhões.

Os segmentos de negócio encomendas/SEDEX, mensagem e serviços financeiros foram os que mais impactaram o resultado. O crescimento da receita da empresa foi, basicamente, impulsionado pelo desempenho do segmento de encomendas/SEDEX, o qual representa 33,9% da receita de vendas e teve crescimento de 9,4%, alcançando um montante de R$ 5,6 bilhões. O destaque neste segmento foram as vendas para as empresas de comércio eletrônico.

MVNO

Conforme o relatório da empresa, a ação estratégica para o MVNO  foi reformulada.  Agora, a previsão de se iniciar a operação piloto em fins de 2015 com a oferta comercial dos serviços de telefonia móvel na rede de atendimento dos Correios no decorrer do1º trimestre de 2016.

O exercício foi encerrado com 120.461 empregados, significando uma redução em relação ao exercício de 2013, motivada,principalmente, pelo Plano de Desligamento Incentivado para Aposentados (PDIA).

Em 2015, serão investidos R$ 803,97 milhões com foco na redução de custos, aumento da produtividade e melhoria da qualidade dos serviços prestados: R$ 5,02 milhões na adequação à demanda do mercado de ampliar a infraestrutura de atendimento;R$ 70,12 milhões para ampliar a infraestrutura de tratamento / distribuição e logística; R$ 41,28 milhões em manutenção das unidades administrativas; R$ 215,45 milhões na manutenção e expansão de equipamentos, máquinas, veículos e móveis; R$ 168,24 milhões em ativos de informática, com foco na modernização das áreas fim e meio da empresa; R$ 303,85 na manutenção da infraestrutura de atendimento, produção, distribuição e logística.

Anterior Nokia Networks entra no mercado de infraestrutura para a nuvem
Próximos Vendas de dispositivos conectados suplantarão 110 milhões este ano