Coronel Waldemar Ortunho assume presidência da Telebras nesta semana


O novo presidente da estatal tem farto conhecimento do setor. Um dos primeiros militares a ser guindado para o grupo de transição, é Bolsonaro de primeira hora. Em seu facebook chega a chamar o reeleito deputado Jean Wyllys (Psol/RJ) de “vagabundo”, a reproduzir o logo da Globo em um esgoto e a seguir o “guru” Olavo de Carvalho

 

 

O conselho de Administração da Telebras, em reunião virtual e votação digital, que se encerrará às 18 horas, elege hoje, 23 de janeiro, o coronel de reserva Waldemar Gonçalves Ortunho para presidir a estatal de telecomunicações. Será o segundo militar na direção da empresa, visto que em dezembro, o general de Exército, José Orlando Ribeiro Cardoso, foi guindado para a diretoria administrativo-financeira da empresa.

Ortunho tem um vasto currículo na área, já tendo inclusive dirigido o Centro de Tecnologia do Exército. Atuou no extinto ministério das Comunicações, com o ex-ministro Hélio Costa, no governo Lula, quando foi diretor  do departamento de outorgas e participou do grupo gestor do Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTV).

Além de seu currículo técnico, é um bolsonarista de carteirinha e foi um dos primeiros militares a integrar o grupo de transição do governo, quando fazia a ponte entre as propostas do grupo e o próprio presidente.

Ele apoia o novo governo e o seu presidente em sua plenitude. Em sua página do Facebook, por exemplo, reproduz uma frase do “filósofo” da moda, Olavo de Carvalho, que admite até mesmo a ditadura militar como instrumento para mudança de poder. Diz a frase: “derrubar um governo tirânico com a ajudar militar é bom. Derrubá-lo pela via parlamentar é melhor. Derrubá-lo pela iniciativa popular é a perfeição da democracia”.

Também reproduz foto da TV Globo em um cano de esgoto e a tese de que o então candidato Bolsonaro não deveria participar dos debates. A estatal foi criada para universalizar a banda larga. E tem um satélite que custou mais de R$ 2,5 bilhões dos cofres públicos que precisa começar a ser explorado.

O futuro presidente da Telebras, se tiver que ir ao Congresso Nacional, como normalmente ocorre com essas autoridades, poderá ter que dar outras explicações além das vinculadas à empresa.  Isso porque, em seu facebook também faz dura campanha contra o deputado Jean Wyllys (Psol/RJ), que se reelegeu. O presidente da Telebras chega a chamar o deputado de “vagabundo”  Publicou: “quem acha que o mandato desse vagabundo deve ser caçado (sic) compartilha”.

Anterior Telefónica é a preferida da Europa em ranking de revista
Próximos Vodafone e Telefónica querem compartilhar rede 5G no Reino Unido