Continuam especulações sobre fusão entre Oi e TIM


As especulações em torno de uma possível fusão entre as operadoras Oi e TIM continuaram ao longo desta quinta-feira, 07. O jornal Valor Econômico deu mais detalhes do acordo que o BTG Pactual tenta fechar, com a entrada do fundo russo LetterOne. Segundo a notícia, as operadoras estão, sim, negociado a fusão, e os termos preveem pagamento de R$ 10 bilhões à Oi.

No negócio, a Telecom Italia poderia consolidar o balanço da operação no Brasil, ou seja, seria a controladora. O fundo LetterOne seria ou sócio relevante, com participação na administração e o objetivo de impedir a italiana de ter 50% mais uma ações da companhia.

O jornal afirma que o plano é criar uma empresa com relação dívida líquida e Ebitda de 2x. O Ebitda de uma empresa que una as duas operadoras, hoje, seria de R$ 13 bilhões, enquanto a dívida líquida somada é de R$ 37,5 bilhões. Tais números exigiriam o aporte dos R$ 10 bilhões a R$ 13 bilhões para que a reação seja alcançada.

Pulverização na Oi
O conselho de administração d Oi aprovou hoje a conversão voluntária das ações preferenciais em ordinárias, bem como American Depositary Shares (ADSs) representativos de ações preferenciais. A companhia espera que as ações ordinárias emitidas como resultado da conversão já estejam atribuídas aos respectivos detentores amanhã, 9 de outubro, após o encerramento do pregão, podendo ser negociadas a partir de 13 de outubro. Jás as ADSs representativas das novas ações ordinárias serão emitidas em 13 de outubro.

Anterior Confaz autoriza aumento do ICMS da TV paga em até 50% para mais de 15 estados
Próximos Cai base de celular em agosto, quase 2 milhões de pré-pagos são desligados

3 Comments

  1. 9 de outubro de 2015

    não será por falta de comentários que a OI continuará
    firme no mercado das teles.

  2. Ricardo Rocha
    9 de outubro de 2015

    Se acontecer já vi que vou ter que portar o meu número para outra operadora. Somente uso a TIM como falta de opção…

  3. Silvio Marques
    9 de outubro de 2015

    A Oi é uma empresa tecnicamente falida, resultado de aposta em telefonia fixa (antiga Telemar) que depois arrematou a Brasil Telecom (controlada antes pela Telecom Italia e Opportunity) e depois como não soube ter foco na promoção “Ligador” nem na “Pré-Pago Ilimitado”. Diferente da TIM que teve foco no Infinity e no Beta e a Claro teve foco no Claro Pré Ilimitado mesmo copiando sempre o Infiniity e com alguns diferenciais, como o transferência de saldo e favorito com tarifa zero para um Claro de mesmo DDD. Já a Oi nunca teve foco para nada, se achava que poderia se diferenciar no Pós como é a Vivo, mas o perfil de cliente da Vivo é Pós.