Contingenciamento atrasa Banda Larga para Todos


Embora o Banda Larga para Todos, a segunda fase do Programa Nacional de Banda Larga, só vá impactar o orçamento de 2016, o ministro Ricardo Berzoini disse que é preciso negociar com a fase o impacto que o uso de recursos do Fistel poderá ter no ano que vem. Apesar do atraso no lançamento da nova fase, programado para maio, Berzoini acredita que poderá lançá-lo ainda neste semestre. “Temos que entender conjuntura do Tesouro, que tem os seus problemas para fechar as contas e as metas, mas a luta por garantir recursos para a pasta é diária”, informou, ao participar da cerimônia de posse do ex-deputado Jorge Bittar na presidência da Telebras.

Como o Banda Larga para Todos é uma prioridade de governo, Berzoini não tem dúvidas de que será implementado. “Mesmo que atrase um pouco, chegaremos em 2018 em boa situação, com as metas atingidas”, disse ele. Sua expectativa é de que o primeiro leilão reverso para construção de rede óptica — modalidade em que ganha o que ofertar o menor preço pelo serviço —seja realizado em dezembro deste ano.

Anterior Concessionárias perdem 1,43 milhão de linhas fixas em um ano
Próximos Bittar quer turbinar a área comercial da Telebras