Consultoria sugere o fim da exclusividade de telefone público para concessionária


A Anatel já está estudando os novos condicionamentos que deverão ser estabelecidos para as concessionárias de telefonia fixa, cuja consulta pública deverá ser lançada até 31 de março. A Guerreiro Consult, empresa contratada para auxiliar a agência nessa formulação já concluiu seu relatório e, entre as propostas apresentadas, sugere que os telefones públicos possam ser …

A Anatel já está estudando os novos condicionamentos que deverão ser estabelecidos para as concessionárias de telefonia fixa, cuja consulta pública deverá ser lançada até 31 de março.

A Guerreiro Consult, empresa contratada para auxiliar a agência nessa formulação já concluiu seu relatório e, entre as propostas apresentadas, sugere que os telefones públicos possam ser instalados por qualquer empresa que tenha licença de STFC, e não apenas pelas atuais concessionárias. Propõe também que as operadoras fiquem liberadas para retirar os aparelhos que comprovadamente tenham baixa utilização, e admite o fim da exigência atual, que estabelece a necessidade de densidade de 6 telefones públicos (TUPs) por mil habitantes.

Para os telefones individuais, a consultoria mantém a meta atual, de oferta de telefones em localidades com mais de 300 habitantes, mas sugere que os usuários possam agendar a data da instalação. Propõe também que as empresas fiquem liberadas a fornecer os terminais dos assinantes , além de poderem manter a rede interna.

Novas áreas

Para alcançar as áreas não atendidas pelas metas atuais, a consultoria propõe a criação de um serviço com “multimodalidade” que seria explorado por pequenos empreendedores sob a forma de revenda. Esse serviço seria nomádico, de numeração especial, com tarifas de interconexão próprias, de qualidade diferenciada e não teria o código de seleção de prestadora. (Da Redação)

Anterior Corel tem prejuízo acima de 60% no quarto trimestre
Próximos Claro bate recorde e conquista 8,5 milhões de clientes em 2008