Consulta sobre mudança na numeração será prorrogada


shutterstock_STILLFX_agenda1_calendario

O conselho diretor aprovou ontem, 28, a prorrogação, por mais 30 dias da consulta pública nº 22, que muda o regulamento de numeração. Entre as propostas, a Anatel que repassar para a iniciativa privada a gestão dos números destinados aos usuários dos serviços de telecom.

A pedido do SindiTelebrasil, a consulta, que terminaria neste sábado, dia 30, ganhará mais 30 dias para a apresentação de sugestões.

Anterior TST manda funcionários dos Correios encerrarem greve
Próximos TAC da Algar Telecom fica para 2018

1 Comment

  1. Aurelino Santos
    2 de outubro de 2017

    EM 30.09.2017

    Sou comerciante e tenho muitos chips Oi DDD 22 e seria ótimo se essa mudança na numeração também abrangesse os chips com códigos de área específicos, para que no momento da ativação e consequente recebimento do sms com o número definitivo, fosse possível escolher o DDD a ser utilizado e que o consumidor que estivesse em trânsito por aquela região decidisse por outro código de área de seu interêsse. Os números da Oi com DDD 22 têm baixa demanda por aquelas paragens e essa alteração permitiria que a procura pelos chips dessa operadora aumentasse e convergindo para a competitividade, apesar da rede 4G da operadora Oi ser incipiente naquela região. Quando fui à Araruama em março desse ano de 2017, vendi vários simcards Oi com código 21, entretanto, nenhum chip com DDD 22 foi solicitado pelos vendedores de lá. Como pretendem avaliar mais alternativas para essa questão da numeração, achei oportuno “embarcar essa carta” com a esperança de que os decisores dessa demanda avaliem tal possibilidade. Apresentei recentemente à Anatel e com protocolo tramitando desde 25.09.2017, sugestão com ênfase na portabilidade numérica em massa vir a ser implementada, devido ao fato de precisar ser realizada sem vínculo com qualquer cpf, pois trata-se de contingência vinculada à necessidade de todo comerciante que vende chips pré-pagos, poder alterar seu estoque de simcards sem que seja necessário adquirir um novo lote de simcards dessa ou daquela operadora, ou seja, irá solicitar portabilidade numérica em massa para a operadora à qual possuir poucos chips em seu estoque reduzindo assim, os custos operacionais desde que não haja nenhum custo pelos chips da nova operadora que irá receber os números. Tudo isso vindo a ser convergente, mudança na numeração X portabilidade numérica em massa, creio eu que ocorrerá um grande avanço nas ofertas desse produto aos consumidores, a saber, chips da Claro, da Vivo, da TIM, da Oi e quantas outras operadoras vierem a ingressar no mercado nacional de telecom.