A consolidação da Oi não muda se houver troca de governo, afirma Otávio Azevedo.


O presidente da Andrade Gutierrez e um dos controladores da Oi, Otávio Marques de Azevedo, afirmou que a Oi vai para o novo mercado no prazo estipulado, até o dia 25 de março, independentemente das negociações para a sua consolidação.

O presidente da Andrade Gutierrez e um dos controladores da Oi, Otávio Marques de Azevedo, afirmou hoje (16), que o processo de consolidação pretendido pela empresa vai ocorrer independentemente de qual  governo irá dirigir o país a partir do próximo ano. “A consolidação não muda”, respondeu o executivo a indagação de jornalistas sobre uma mudança de governo.” O  mercado é mercado.  O papel do governo é importante para analisar a operação através dos órgãos reguladores, como Anatel e Cade”, assinalou o executivo. Ele observou que a Oi não apresentou ao Executivo qualquer projeto ao governo neste sentido,  porque as alternativas ainda estão sendo analisadas.

Ele disse que o BTG Pactual ainda irá apresentar as estruturas aos acionistas, com as alternativas para que eles continuem a participar do processo. Os estudos do banco deverão ser apresentados, conforme informou ontem o Estado de S.Paulo, até o dia 31 deste mês.

Marques disse ainda que o grupo francês Altice, interessado em comprar a Portugal Telecom, procurou os acionistas portugueses e não manteve qualquer contato direto com ele.

Novo Mercado

O executivo afirmou  que a Oi vai continuar sua trajetória para o Novo Mercado. “Este é o foco e o grande projeto da empresa”, completa. Segundo ele, o prazo para esta trajetória se concluir, no dia 25 de março de 2015 – conforme estabeleceu a CVM- está mantido. “Com o ingresso no novo mercado a Oi vai ganhar capacidade de investir”, assegurou.

E citou como exemplo a CCR concessionária de estrada, controlada pelo grupo, a primeira a ingressar no novo mercado e que hoje tem ampla capacidade de investir.

Anterior Extensões digitais e personalizações via 3DP são futuro do mercado de consumo, prevê Gartner
Próximos Teles e trabalhadores de SP iniciam negociações por reposição salarial