A Telefônica Brasil comunicou nesta segunda-feira, 14, que seu conselho de administração e seu conselho fiscal aprovaram a proposta de reestruturação societária da companhia para incorporar o capital da GVT. A inciativa também prevê a separação dos ativos que não sejam de telecomunicações da operadora paranaense, formando-se uma subsidiária.

A reestruturação já havia sido aprovada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e trata-se de finalizar o processo de fusão com a GVT, iniciado ano passado. A Telefônica garante que não será preciso qualquer novo aumento de capital. Afirma, ainda, que a simplificação da estrutura corporativa reduzirá custos administrativos, operacionais e levará à padronização das operações de GVT e Telefônica, e permitirá, “finalmente”, unir as operações de rede móvel 3G e 4G à rede de fibra óptica da GVT.

As aprovações dos conselhos agora precisam ser referendadas em assembleia geral de acionistas, marcada para acontecer em 1° de abril, às 10h30, na sede social da Telefônica, em São Paulo. Na AGU, os acionistas também deverão ratificar a Ernst & Young como empresa que fará o laudo de avaliação do patrimônio líquido da GVTPart.