Conselheiro não quer unbundling para redes de alta capacidade


Para estimular os investimentos em redes de alta capacidade e aumentar a velocidade de transmissão de dados da infraestrutura de telecomunicações do país, o conselheiro João Rezende, da Anatel, estuda a possibilidade de exigir a abertura de redes para terceiros apenas para as redes antigas, de cobre. O unbundling, ou outra forma de abertura de rede, não seria exigido para as redes de fibra óptica de alta capacidade pelo período de oito anos, como forma de proteção ao investimento feito.

A informação foi antecipada pelo conselheiro em sua palestra no 25º Encontro Tele.Síntese, realizado hoje em São Paulo pela Momento Editorial. Ele também informou que o edital da licitação da faixa de 2,5 GHz deverá estar concluído em julho, após realização de consulta pública, e que ela deverá acontecer em agosto deste ano. Disse ainda que já haveria seis empresas interessadas no leilão, que deverá selecionar quatro vencedores.

Anterior Rezende defende que contrato de gestão substitua contrato de concessão
Próximos Portal Terra tem interesse no Brasileirão