Conexões 4G no Brasil devem saltar de 1,3 milhão para 137 milhões até 2020, diz GSMA


A GSMA, associação que reúne companhias de telefonia móvel em todo o mundo, estima que a liberação da faixa de 700 MHz para uso das operadoras multiplique o número de conexões 4G no Brasil. Para o grupo, o número de usuários pode saltar de 1,3 milhão para 137 milhões até 2020. Em comunicado divulgado nesta tarde, a associação também cobrou do governo federal e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) um cronograma detalhado de transição para a TV digital a partir da realização do leilão de 700 MHz.

“Para que esse leilão seja bem-sucedido, a GSMA e suas operadoras associadas no Brasil pedem que o governo e a Anatel publiquem um cronograma claro de transição para a TV digital e que esclareçam o plano de realocação antes que as regras do leilão sejam publicadas. Para garantir a oferta dos serviços de banda larga móvel à população brasileira no prazo adequado, essa faixa deveria estar disponível para as operadoras o mais cedo possível, o que não é viável até que as emissoras de radiodifusão tenham migrado para outros canais”, diz Tom Phillips, diretor de assuntos regulatórios da GSMA.

A GSMA vai enviar seus comentários para as consultas públicas até o dia 3 de junho de 2014, prazo final para participação. “Antes de decidir participar do leilão, as operadoras precisam ter pleno conhecimento, não só dos preços mínimos, como também da compra e da política de distribuição de set-top boxes e/ou filtros para as famílias de baixa renda. Todas essas medidas vão ajudar a viabilizar a transição rápida e sem interrupções do Dividendo Digital para o serviço móvel, tornando os serviços de banda larga móvel acessíveis para os consumidores em todo o país”, afirma Phillips, na nota.

Anterior Em audiência sem operadoras, Anatel responde a emissoras sobre interferência do LTE na TV digital
Próximos Telecom Italia capta US$ 1,5 bi com bonds de 10 anos