Conexões 4G no Brasil chegarão a 42 milhões em 2016


Smartphones - Japanexperterna - www.japanexperterna.seO Brasil encerrou 2015 com 23 milhões de conexões móveis em redes 4G, de acordo com os dados da GSMA Intelligence, braço de pesquisa da GSMA, associação que representa as operadoras de telefonia móvel no mundo. E a previsão é que o país alcance a marca de 42 milhões de conexões 4G no final de 2016, o que representaria um crescimento de 87%.

O mercado brasileiro é o maior da América Latina, tendo contabilizado mais de 267 milhões de conexões móveis em dezembro de 2015. Os acessos 4G representaram 9% do total. Para o final de 2016, a previsão é que o número de conexões móveis no país chegue a 278 milhões e que o percentual de conexões 4G praticamente dobre, atingindo mais de 15% desse total.

Esse crescimento será acompanhado do aumento da penetração de smartphones no país, previsto para saltar de 55%, em 2015, para 62%, em 2016 – apesar da pressão do ambiente macroeconômico sobre o preço dos aparelhos. Uma parcela significativa das novas conexões 4G será constituída de clientes que trocarão seus aparelhos por smartphones e migrarão para as redes mais velozes. Ao final de 2016, a previsão é que o total de conexões móveis 3G e 4G chegue a 223 milhões, um aumento de cerca de 16% em relação a 2015, quando esse total foi de 193 milhões.

Da mesma forma, os dados da GSMA Intelligence apontam para o crescimento das conexões M2M (máquina a máquina) no Brasil. O país é o maior mercado M2M na América Latina, tendo somado 11,6 milhões de conexões no final de 2015. Esse número representa um aumento de 16,76% em relação a 2014, quando foram contabilizadas 9,9 milhões de conexões M2M. A previsão da GSMA Intelligence é que, ao final de 2016, o total de conexões M2M no país chegue a 14 milhões, o que representaria um crescimento da ordem de 20,79%.

A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) ainda não divulgou os dados de dezembro, mas em novembro o número era de 22,5 milhões de acessos LTE. Em tecnologia M2M, o país tinha, conforme a agência, 11,3 milhões de acessos do tipo.

Anterior Telebras nega conversas para fusão com Serpro e Dataprev
Próximos Empresa do grupo Telecom Italia também investe no cabo submarino Seabras-1