Concessionárias perdem 1,43 milhão de linhas fixas em um ano


telefones fixosA Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) divulgou nesta quinta-feira (14) os números de linhas telefônicas fixas ativas no país até março. Os dados mostram avanço das empresas autorizadas a prestar o serviço, e perda de mercado das concessionárias – aquelas empresas que trabalham sob regime público e devem atender a obrigações de universalização.

Março terminou com 44,96 milhões de linhas de telefonia fixa. Equivale a 22,05 acessos para cada cem habitantes. As concessionárias detêm 26,83 milhões de linhas em serviço, maioria (59,67%). O número cai mês a mês desde, pelo menos, 2013. Em comparação com o ano passado, encolheu em 1,43 milhão de linhas (5%). Já as autorizadas encerraram o mês com 18,3 milhões de linhas ativas, 2,9% mais que um ano antes. Isso representa ganho de 1,34 milhão de linhas, motivado em grande parte por oferta gratuita de voz nos bundles triple e quadruple play.

Disputa
Entre as concessionárias, Algar (CTBC Telecom), Copel e Claro ganharam novos clientes em relação ao mês de fevereiro. A Algar passou a ter 718,6 mil linhas (aumento de 0,03% na base). A Copel foi para 168,7 mil (também 0,03%). A Claro (Claro/Embratel/Net) ganhou três assinantes, passando a ter 1.545. A sangria se deu para as maiores. A Oi perdeu, de fevereiro a março,  106,96 mil linhas (retração de 0,6%). Já a Telefônica teve 27,48 mil linhas deligadas, canceladas ou migradas a outras operadoras (-0,2%). 

O mercado das autorizadas continua dominado pela Claro (Claro/Embratel/Net). A companhia perdeu 2,85 mil clientes entre fevereiro e março, contabilizando 11,73 milhões de linhas. A GVT é a segunda autorizada com maior número de linhas, e apresentou crescimento. Registrou 42,2 mil adições, passando a ter 4,67 milhões.

A operação que funciona como autorizada da Telefônica fechou março com 560 mil usuários (-4,75 mil), e a TIM com 554,69 mil (-1,17 mil). As demais autorizadas – entre as quais Algar, BT, Cabo, Copel – tiveram crescimento no período. Somadas, têm 465 mil linhas (+7,17 mil).

Orelhões e AICE
A Anatel aponta ainda para redução na quantidade de orelhões em funcionamento, de 869,28 mil em fevereiro, para 868,5 mil em março. Em compensação, a procura pelo telefone popular (AICE) aumentou 30% na comparação anual, 1,4% em relação ao mês anterior, atingindo 167,33 mil unidades ativas.

Anterior “Telebras tem que ser para telecom o que a Petrobras é para setor energético", diz Berzoini
Próximos Contingenciamento atrasa Banda Larga para Todos