Concessionárias lideram desligamento de telefones fixos em julho


Base de telefonia fixa encolheu 0,45% em julho, em relação a junho. Em 12 meses, a retração foi de 2,97%. Enquanto as autorizadas ganharam clientes em um ano, as concessionárias perderam mais de 1,26 milhão.

O mercado brasileiro de telefonia fixa continua em retração, e as concessionárias do serviços são as que mais estão desligando clientes. Em julho não foi diferente, conforme dados revelados hoje (6) pela Anatel. As empresas que atuam em áreas concedidas perderam 154.920 acessos, uma retração de 0,67% em relação a junho. As autorizadas também perderam, em menor escala. Foram responsáveis por 25.580 desligamentos.

Somando o número de assinantes de concessionárias e autorizadas, o mercado de telefonia fixa brasileiro encolheu 0,45%, ou 180,5 mil acessos. Havia no país 40.047.304 linhas ativas. E, embora as concessões estejam perdendo mais clientes, ainda são responsáveis pela maior fatia do mercado, com 22,93 milhões de usuários. As autorizadas detinham 17,12 milhões.

Na comparação anual, o cenário é mais dramático para as concessões. Nos últimos 12 meses a diminuição foi de 1.224.404 (-2,97%) linhas no país. As autorizadas apresentaram um aumento de 37.788 (+0,22%) linhas e as concessionárias, por sua vez, apresentaram uma redução de 1.262.192 (-5,22%).

Fatia de mercado

Em termos de market share, pouco mudou. A Oi continua como maior concessionária de telefonia fixa do país em acessos, com 12.774.172 (55,71%) de linhas. É seguida por Telefônica, com 9.237.824 (40,28%); Algar Telecom, com 755.698 (3,29%); Sercomtel, com 159.623 (0,69%); e Claro, com 1.856 (0,08%).

Entre as autorizadas, a Claro tinha 10.656.489 (62,25%) linhas; Telefônica, 4.776.937 (27,90%); TIM, 787,560 (4,60%); Algar Telecom, 405.399 (2,36%); Sercomtel, 92.688 (0,54%); Cabo, 35.580 (0,20%); e Oi, 171.313 (0,01%).

Anterior No vermelho, Liq tenta reunir credores para suspender covenants
Próximos Vitale: Marketing 4.0 e a massificação da IoT