Concessionárias desistem do calling card para o orelhão


As concessionárias de telefonia desistiram de adotar o cartão de chamada (ou o calling card) nos orelhões brasileiros. O tema, que chegou até a gerar uma audiência pública, e que tinha urgência de solução, visto que não há mais fabricante do cartão indutivo, que existe até hoje devido à forte queda na demanda, voltou para a prancheta.

Com a constatação de que o usuário teria que digitar entre 8 a 14 números antes de cada chamada, as operadoras estão atrás de outra solução para substituir o cartão indutivo. Os estudos continuam, e a alternativa, agora, é a  criação de uma plataforma, a exemplo do pré-pago do celular, que consiga “ler” os créditos disponíveis no cartão em posse dos usuários.

Na verdade, a ideia é que esta plataforma tecnológica leia o número que vai identificar o usuário, mas  receita do cartão não estaria na própria mídia, como acontece hoje, mas no sistema em nuvem.

PUBLICIDADE

Os estudos continuam e deverão ser apresentados à Anatel antes de qualquer mudança. Na época, as empresas não tinham solução também para os portadores de deficiência visual, pois não teriam como ler o número a ser digitado.

Anterior Dona da Nextel conclui recuperação judicial
Próximos Oi e Telemar alteram o conselho de administração