Compra de ativos da Telefónica pela AMX em El Salvador segue travada


A autoridade de competição de El Salvador recusou, pela segunda vez, a papelada entregue pela América Móvil para comprovar a aptidão das empresa em adquirir os ativos locais da Telefónica, vendidos no começo do ano.

A Superintendência de Competição do país alega que a AMX não entregou todas as informações exigidas para que o órgão aprove a transação. Diz que em julho avisou a empresa de que faltavam informações e deu prazo até o final de agosto para envio do material faltante. O que, diz em comunicação, não aconteceu.

O órgão afirma que AMX e Telefónica apelaram da última decisão, na qual a autoridade disse que não poderia analisar a venda por não ter recebido todas as informações necessárias.

AMX e Telefónica assinaram contrato em janeiro. A empresa do bilionário mexicano Carlos Slim aceitou pagar € 277 milhões pelos ativos salvadorenhos da companhia espanhola. A Telefónica vendeu neste ano todas as suas operações na América Central. A AMX comprou também os negócios da Guatemala, por € 293 milhões. (Com noticiário internacional)

 

Anterior SindiTelebrasil diz que aprovação do PLC 79 traz segurança jurídica ao setor
Próximos "Regulação por incentivos não afasta as punições ou multas", afirma estudioso da UnB