Comitê de Bondholders da Oi pede informações na Justiça


Logo OiO comitê do grupo Ad Hoc de Bondholders apresentou ontem (21) petição nos autos da recuperação judicial do grupo requerendo ordem judicial para que a companhia responda aos diversos pedidos de informações formulado pelos credores, o que não fez desde o ajuizamento da recuperação judicial e após a apresentação do seu plano de recuperação judicial em 5 de Setembro de 2016. A petição inclui uma lista detalhada de perguntas acerca da recuperação judicial formulada por credores e ao final requer ordem judicial para que a companhia apresente respostas por escrito para todas as informações solicitadas em tais questionamentos; e apresente listas de credores separadas para cada uma das empresas em recuperação judicial, “pedidos estes que ajudarão todos os credores a entender, avaliar e, finalmente, negociar o plano de recuperação judicial da companhia.”

A petição é a mais recente iniciativa do Comitê de Bondholders, segundo sua assessoria, a fim de garantir que a companhia cumpra suas obrigações, de acordo com a legislação aplicável, de negociar de forma justa e equitativa com seus principais credores. Recentemente, em 8 de Novembro de 2016, os assessores do Comitê Diretivo (Cleary Gottlieb Steen and Hamilton LLP, assessor jurídico internacional, Moelis & Company, assessor financeiro, e Pinheiro Neto Advogados, assessor jurídico brasileiro) enviaram a carta à companhia. Nessa carta, o comitê detalha as várias tentativas de dialogar com a companhia desde o ajuizamento do pedido de recuperação judicial em junho, ressaltando que “desde o ajuizamento da recuperação judicial, a companhia continuou com seu comportamento inexplicável — optando deliberadamente por não se envolver com seus credores e, em vez disso, apresentar um plano [de recuperação judicial] destinado exclusivamente a promover os interesses econômicos dos maiores acionistas da companhia, às custas e em detrimento de seus credores, protegendo a companhia e seus administradores de ações legais válidas e de possível responsabilidade criminal”.

Novo assessor financeiro na operadora
Por sua vez, a Oi comunicou à CVM na noite de ontem a contratação de um novo assessor financeiro para ajudar a companhia a negociar com credores. A escolhida foi a Laplace Finanças, que terá como missão “auxiliar no processo de recuperação judicial”. A escolha já era conhecida pelo mercado desde o começo do mês.

Anterior Padtec cede equipamentos à Universidade Federal do Ceará
Próximos MCTIC propõe reduzir Fistel do satélite de R$ 200 para R$ 26

1 Comment

  1. Frederico
    22 de novembro de 2016

    Investigação já! Ver organograma das diretorias dos últimos 5 anos. Má gestão escondida por “erros” dos sistemas… Ver no SINDEC Procon’s qtos erros acontecem e para onde vão esses empréstimos dados pelos consumidores. Lamentável! Mas será uma nova fase de novas operações… MARQUÊS.