Comissão Europeia quer multar governo português por manter contrato de concessão com a PT


 

A Comissão Europeia que multar o governo português depois de decisão do Tribunal de Justiça, anunciada ontem, que condenou Portugal pela não aplicação das regras europeias na designação de operadora de telecomunicações para prestar o serviço universal. Conforme decisão da comunidade, os países precisam fazer uma licitação pública para escolher o operador que irá fazer e manter a universalização dos serviços de voz, mas Portugal resistia a esta determinação e queria manter a Portugal Telecom como a prestadora do serviço, através de contrato de concessão, cujo prazo se expirou em dezembro de 2011.

 

A Comissão Europeia, em comunicado hoje divulgado, explica que “nos termos da legislação da União Europeia devem estar disponíveis em todo o país serviços básicos como a ligação a uma rede telefônica a um preço razoável, postos públicos e números de emergência gratuitos. A seleção de qualquer prestador do serviço universal deve basear-se num procedimento eficiente, objetivo, transparente e não discriminatório”.

 

A decisão do Tribunal de Justiça, que condenou Portugal pela não aplicação das regras europeias na designação do prestador do serviço universal, aconteceu em 2010, e ontem foi mantida a decisão de segunda instância. Bruxelas pretende que Portugal seja condenado a uma multa de 38.984 euros/dia, acrescido de uma multa diária de 7.571 euros até que as obrigações sejam cumpridas, o que poderá chegar a 4 milhões de euros, a contar da primeira decisão até hoje.

 

A Portugal Telecom, depois que vendeu sua participação na Vivo, tornou-se sócia no Brasil da concessionária Oi. (Da redação, com agências internacionais)



Anterior Nokia Siemens vai cortar 620 empregos na Finlândia
Próximos Mais de três milhões de brasileiros aprendem línguas no celular