Comissão Europeia aprova fusão de Alcatel-Lucent e Nokia


A Comissão Europeia anunciou a aprovação da fusão entre as fornecedoras de infraestrutura de telecomunicações Nokia e Alcatel-Lucent. O grupo que analisava o caso no bloco concluiu que a união não traz riscos à competição no setor por entender que ambas as empresas não competem entre si e porque o número de concorrentes no segmento continuará alto.

A comissão verificou o impacto do negócio no mercado de equipamentos para redes móveis e núcleo de rede. Apesar de a fusão resultar em market share de 30% para certos tipos de equipamentos, o predomínio regional resultantes do acordo seria mínimo. “A Nokia tem grande presenta na Europa, onde a Alcatel-Lucent é um player pequeno, enquanto a Alcatel-Lucent tem grande presença nos Estados Unidos, onde a Nokia tem baixa penetração”, diz nota da Comissão Europeia sobre o tema.

O relatório cita ainda Ericsson e Huawei como concorrentes de peso. Coloca ZTE e Samsung como empresas que ainda precisam crescer no segmento de redes, e estima que a Samsung vá ganhar relevância na área nos próximos anos com a expansão do 4G e do 5G.

Conclui, também, que a operação entre Nokia e Alcatel-Lucent não desestimula a entrada de novas empresas no mercado de infraestrutura de redes. E diz que não afeta os riscos de as empresas líderes praticarem cartel, pois pouco altera o cenário atual.

A aprovação europeia segue o aval das autoridades brasileiras e sérvias. Segundo a Nokia, também expirou o prazo para que os reguladores dos Estados Unidos rechaçassem a operação. Também hoje, órgãos de Albânia, Canadá, Colômbia e Rússia deram o sinal verde para o negócio. As empresas lembram que ainda esperam o aval de outros países e dos acionistas da Nokia e da Alcatel-Lucent para finalizar a transação.

Anterior Europa investiga Sky e estúdios de Hollywood por cartel
Próximos Fortaleza e Angola Cables fecham acordo por data center e cabo submarino