Comércio de informática e comunicações perde espaço em 2016


(Shutterstock Maxx Studio)

As empresas que vendem produtos como computadores, periféricos e suprimentos de informática, e seus componentes eletrônicos, de telefonia e comunicação, perderam posições, saindo da nona maior representação, com 4,2% no total da receita operacional líquida, em 2007, para a 13a colocação em 2016, com 3,8%.

O dado é parte da Pesquisa Anual de Comércio, divulgada pelo IBGE, nesta quinta-feira (28). A ocupação por empresas do setor em média é de 11 pessoas por estabelecimento e a média de salário é de 4,3 salários mínimos por empregado, menor apenas que na revenda de combustíveis e lubrificantes, na casa de 5,7 salários mínimos.

De acordo com a pesquisa, em 2016, as 1,546 milhão de empresas comerciais brasileiras geraram uma receita operacional líquida de R$3,3 trilhões, pagaram $214,8 bilhões de salários, retiradas e outras remunerações e ocuparam 10 milhões de pessoas, em 1,685 milhão de unidades locais.

Anterior MCTIC já prorrogou contrato Gesac com teles, mas quer ampliar programa com Telebras
Próximos Desligamento da TV analógica nas últimas sete capitais é confirmado para 14 de agosto