Começa segunda etapa da seleção de voluntários para medir banda larga


Os usuários de banda larga fixa que se inscreveram para participar do programa de medição da qualidade do serviço devem fazer o teste de velocidade (speed test) de suas conexões, conforme orientações encaminhadas, por e-mail, pela Entidade Aferidora da Qualidade (EAQ).

Com a validação dos dados no speed test, o usuário é considerado apto a participar do projeto de medição da qualidade da banda larga fixa e, a partir daí, fará parte de um sorteio para a seleção dos voluntários que receberão o whitebox – aparelho que fará a medição. A Anatel informou que a primeira divulgação de resultados ocorrerá apenas em dezembro, uma vez que esta ainda é a segunda etapa do processo seletivo. 

Em todo o país, serão selecionadas 12 mil pessoas. A partir dos resultados, a Agência reunirá informações para a adoção de medidas que permitam a progressiva melhoria do serviço. O Regulamento de Gestão da Qualidade do Serviço de Comunicação Multimídia (RGQ-SCM), por meio do qual foram estabelecidos padrões de qualidade para o serviço, determinam que  a velocidade instantânea de conexão não pode ser menor do que 20% da velocidade máxima contratada pelo assinante, tanto para download como para upload, em 95% das medições.

A meta de 20 % é válida para os primeiros doze meses, contados a partir da entrada em vigor do Regulamento. Nos doze meses seguintes, será de 30% e, a partir de então, 40%.

O regulamento também prevê limites mínimos para a velocidade média. O resultado da média de todas as medições realizadas no mês na rede da prestadora precisa corresponder a 60% do contratado, nos doze primeiros meses. Nos doze meses seguintes será de 70% e, a partir de então, 80%.

Como fazer o teste de velocidade da banda larga 
 

O teste deve ser feito, obrigatoriamente, a partir de um computador ligado à internet por meio da conexão informada durante a inscrição. Não é possível, por exemplo, que o usuário se inscreva para medir a qualidade da banda larga de sua casa e tente fazer o speed test em seu local de trabalho: os dados não serão validados.
 

Quem não for escolhido agora, poderá ser sorteado em uma próxima etapa do projeto, já que, anualmente, haverá renovação de 25% da base de voluntários. Podem participar todos os usuários – pessoas físicas ou jurídicas – que tenham contrato de prestação de serviço de banda larga fixa em seu nome; apenas funcionários das empresas analisadas não poderão ser voluntários. (Da redação)
 

Anterior Aplicativo móvel para controle de orçamento da SAP chega ao mercado
Próximos Apple admite que mapa está abaixo do padrão de qualidade da companhia