Embarcação responsável por instalar o cabo SACS no leito do Oceano Atlântico

Embarcação responsável por instalar o cabo SACS no leito do Oceano Atlântico

A Angola Cables iniciou hoje, 09, a instalação do cabo submarino de fibra óptica SACS (South Atlantic Cable Sytem). O cabo parte da costa de Angola, em Sangano, município da Quissama. De lá, atravessa o leito do Atlântico e chega em Fortaleza (CE).

O processo de instalação deverá levar de quatro a cinco meses. Construído pela unidade japonesa da NEC, o cabo terá capacidade de pelo menos 40 Tbps e 6 mil quilômetros de extensão.

Além do SACS, a Angola Cables tem outros dois projetos no Brasil, totalizando US$ 300 milhões em investimentos. O cabo Monet, que ligará Miami, nos Estados Unidos a Santos, passando também por Fortaleza. Este por sua vez conta ainda com as participações do Google, Algar Telecom e Antel (Uruguai).

A previsão é que ele comece a operar no último trimestre de 2017. O segundo projeto é a construção de um Data Center internacional, em Fortaleza, que será um agregador de cabos submarinos de fibra óptica. Iniciará as operações no primeiro semestre de 2018.

O presidente da Angola Cables, Antonio Nunes, não esconde as grandes expectativas com o empreendimento. “Angola está cada vez mais próxima de se tornar um dos principais centros das telecomunicações da África subsaariana. Os cabos submarinos e Data Center irão criar novos caminhos para troca de informação e nos tornar parte dos grandes circuitos internacionais”, conclui.