Começa a integração de carga útil do ViaSat-3


A Viasat anunciou hoje, 30, que a primeira estrutura de módulo de carga útil da ViaSat-3, construída pela Boeing, chegou às instalações da Viasat em Tempe, no Arizona. A empresa pode começar a integração de carga útil e testes para o primeiro satélite da classe ViaSat-3, que está programado para fornecer serviço de banda larga para as Américas a partir de 2020.

A Viasat será responsável por construir a carga útil do satélite ViaSat-3, integrar a carga útil na estrutura do módulo fornecida pela Boeing e testar a carga integrada. A Boeing fornecerá a plataforma de satélite escalável 702, integração de espaçonave e testes ambientais, além da integração de veículos de lançamento e serviços de operações de missão.

“A entrega da primeira estrutura do módulo de carga ViaSat-3 é um marco importante para a empresa: a transição da fase de engenharia e projeto para a produção do nosso primeiro satélite da classe ViaSat-3”, afirma Dave Ryan, Presidente da Space Systems da Viasat. “Essa conquista nos leva um passo mais perto de oferecer o futuro de serviços acessíveis de banda larga por satélite em qualquer lugar.”

“As equipes da Viasat e da Boeing continuam a quebrar as barreiras no design e construção de satélites”, diz Chris Johnson, Presidente da Boeing Satellite Systems International. “Além de termos acabado de entregar a primeira estrutura do módulo de carga útil, estamos atualmente trabalhando na construção da segunda estrutura do ViaSat-3, que ajudará a Viasat a atingir sua missão global de levar internet banda larga via satélite para o mundo.”

Banda Ka

A classe ViaSat-3 de satélites de banda Ka ofereçará recursos sem precedentes em termos de velocidade de serviço e flexibilidade para uma plataforma de satélite. Os dois primeiros satélites se concentrarão nas Américas e na Europa, Oriente Médio e África (EMEA), respectivamente, com um terceiro satélite planejado para a região Ásia-Pacífico, completando a cobertura de serviços globais da Viasat. Espera-se que cada satélite da classe ViaSat-3 ofereça mais de 1 Terabit por segundo de capacidade de rede e aproveite os altos níveis de flexibilidade para direcionar dinamicamente a capacidade onde os clientes estão localizados. (assessoria de imprensa).

 

Anterior Galaxy Note9 vai custar no Brasil entre R$ 5.499 e R$ 6.499
Próximos STF legitima a terceirização em todas as atividades