Com restrições do relator, sabatina de Emília é adiada


A competência de Emília Ribeiro para ocupar o cargo no conselho diretor da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) foi posta à prova pelo relator da indicação, senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), agora há pouco, na Comissão de Infra-estrutura do Senado. Segundo seu relatório, "em que pese as boas referências que temos a respeito da indicada, temos …

A competência de Emília Ribeiro para ocupar o cargo no conselho diretor da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) foi posta à prova pelo relator da indicação, senador Sérgio Guerra (PSDB-PE), agora há pouco, na Comissão de Infra-estrutura do Senado. Segundo seu relatório, "em que pese as boas referências que temos a respeito da indicada, temos que considerar, entretanto, que o currículo ora apresentado não se mostra convincente para atestar, de forma inquestionável, sua capacitação para o cargo".  Ele recomendou atenção especial dos demais senadores na argüição da candidata, que foi adiada a pedido do senador Demóstenes Torres (DEM-GO).

As discussões sobre o tema continuaram. O senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que não faz parte da comissão, mas que defende a ida de Emília para a Anatel, criticou o relatório do senador Sérgio Guerra, afirmando que o Senado não pode se submeter a esse tipo de situação quando analisa indicações. Ele lamentou a exposição da candidata e a demora da elaboração do relatório. E disse que a questão foi politizada.

O presidente da Anatel, Ronaldo Sardenberg, presente à sessão, não quis comentar o assunto.

Emília Ribeiro foi indicada pelo ministro das Comunicações, Hélio Costa, como o nome do PMDB. Além de ligada a Renan Calheiros, ela é ligada ao senador José Sarney (PMDB-AP).

Anterior Minicom lançará licitação para implantar 160 cidades digitais
Próximos Comissão fará audiência sobre renovação de outorgas e crimes na internet