Com novo presidente, Damovo quer ampliar presença nas telcos.


Com forte atuação no mercado corporativo, a Damovo do Brasil iniciou maio sob novo comando e com a estratégia de tornar-se líder no mercado de soluções de comunicações unificadas e ampliar sua parceria com as operadoras, passando a fornecer serviços, como o de integração de equipamentos, e soluções para o core da operadora. Hoje a …

Com forte atuação no mercado corporativo, a Damovo do Brasil iniciou maio sob novo comando e com a estratégia de tornar-se líder no mercado de soluções de comunicações unificadas e ampliar sua parceria com as operadoras, passando a fornecer serviços, como o de integração de equipamentos, e soluções para o core da operadora. Hoje a empresa trabalha com telcos como a Telefônica e Embratel, porém, fornecendo serviços para o cliente final da operadora. "Queremos oferecer mais serviços e entrar no core da operadora", informou Arnaldo Curvello, que está à frente da Damovo do Brasil desde 2001 e, a partir desde mês, passa a ter o cargo de chairman da companhia. O novo presidente, Alberto Ferreira, teve seu nome aprovado na assembléia de acionistas realizada em 30 de março e pesou na escolha de seu nome o fato de ter trabalhado em operadoras como a Vivo, Intelig e Diveo e ter experiência em aplicações.

"Ainda vamos aprovar o plano de investimentos e trabalho com a matriz, mas nossa intenção é nos aproximarmos mais das operadoras. Esse mercado não conhece a Damovo, confundindo ainda a empresa com a Ericsson e com a Aastra", destacou o novo presidente. Ferreira referiu-se ao fato de a Damovo ter surgido da antiga divisão da Ericsson Enterprise Systems do Brasil, adquirida em 2001 por um grupo de investidores inglês (o lançamento da marca Damovo ocorreu em 11 de setembro de 2001). A Aastra é um dois principais parceiros da Damavo, que como integradora da Aastra responde por 90% de seu faturamento no Brasil, segundo Curvello. Outros parceiros estratégicos da empresa no país são a Cisco e a Microsoft.

Para entrar no mercado de telcos, a Damovo do Brasil pretende investir na capacitação de pessoal e mostrar às operadoras que está apta a fazer integração e ofertar serviços que vão de consultoria, projeto, implantação, manutenção, monitoração e gerenciamento. "Sabemos que um dos problemas que as operadoras enfrentam é de suporte no pós-venda", comentou Ferreira.

A Damovo do Brasil tem, atualmente, 368 funcionários e atende a mais de 1.800 clientes. O faturamento no Brasil, no ano passado, de R$ 178,5 milhões, representou 30% das receitas globais da empresa, que faturou € 228 milhões.

Anterior Aumenta o prejuízo da Alcatel-Lucent
Próximos Aumenta a demanda por cabos de alumínio, diz RFS.