Com MultiVivo, Telefônica foca na conexão de tablets


 

A Telefônica Vivo lançou nesta seguda-feira (15) o MultiVivo que, conforme já divulgado pelo TeleSíntese, permite que usuários contratem um plano de dados e voz para compartilhamento em até cinco dispositivos adicionais (smartphone, tablets e notebooks). Para o usuário, o modelo de venda inédito na América Latina significa economia e para a Telefônica Vivo uma oportunidade de aumentar a receita por cliente.

“A aposta é que caminhamos para a conexão se ampliar. Naturalmente a redução no preço para o nível do cliente vem acompanhada de aumento do consumo e dos número de clientes”, explicou Paulo Cesar Teixeira, diretor-geral da Telefônica Vivo no Brasil. De acordo com projeção da operadora, em três anos 60% da base de clientes terá planos de compartilhamento de pacote de dados.

Um dos potenciais para avanço no consumo de dados da operadora seriam os tablets. O Brasil viveu um avanço rápido do número desses aparelhos – de acordo com a consultoria IDC, a venda de tablets cresceu 171% em 2012 no país – mas muitos destes aparelhos ainda não contam com conexão móvel. Ou seja, os usuários ainda dependem de redes Wi-Fi para conectá-los, apesar de 80% dos usuários de tablets declararem o desejo de terem uma conexão móvel, conforme pesquisa realizada pela própria Vivo. Este cenário demonstra o potencial do MultiVivo, afirmou o diretor de estratégia e novos negócios da Vivo, Christian Gebara, que preferiu manter o porcentual de usuários de tablets que ainda não contam com planos de dados em sigilo. “Ainda há um número significativo de clientes não conectados com chips”, disse.

O lançamento do novo modelo de cobrança por transferência de dados ajuda a Telefônica a manter em sua base os usuários de smartphones que, cada vez mais detêm também tablets. Segundo o levantamento da companhia, em 2012, 17% dos usuários de smartphones tinham tabém um tablets. Agora, este número passou para 32%, aumento de 15 pontos percentuais.

Pelo MultiVivo, o cliente que contratar um pacote de dados e voz pode adicionar um tablet e compartilhar o acesso por R$ 29. O mesmo preço será cobrado se o cliente conectar um notebook. Apenas quando o cliente quiser conectar um segundo smartphone no plano, o valor a ser cobrado aumenta para R$ 49. Até cinco aparelhos, além do smartphone pelo qual foi feito o plano, podem entrar no pacote de compartilhamento de dados. A cobrança vem em apenas uma conta, apesar de cada um dos dispositivos contar com chip próprio.

Família
Além de atender às necessidades dos clientes que detêm mais de um dispositivo móvel, a possibilidade de contratação de um pacote de dados a ser compartilhado também responde à demanda de um outro foco de negócio: as famílias. A oferta MultiVivo substitui os planos Família, conforme explicou Gebara.

Anterior Anatel precisa divulgar o impacto econômico de suas ações regulatórias
Próximos Vivo lançará 4G dia 30 de abril