Com aval da CVM, Telmex marca para novembro leilão de ações da Embratel.


Em fato relevante publicado ontem, 28,  em seu site na internet, a Embratel Participações informa a seus acionistas e ao público em geral que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) comunicou à Telmex (Télefonos de México), acionista controlador da companhia brasileira, que deferiu, na última quarta-feira, o registro da oferta pública voluntária com procedimento diferenciado …

Em fato relevante publicado ontem, 28,  em seu site na internet, a Embratel Participações informa a seus acionistas e ao público em geral que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) comunicou à Telmex (Télefonos de México), acionista controlador da companhia brasileira, que deferiu, na última quarta-feira, o registro da oferta pública voluntária com procedimento diferenciado para aquisição da totalidade das ações ordinárias e preferenciais da Embrapar. Na prática, isso significa que a CVM deu sinal verde para que o processo de fechamento de capital da Embratel e a retirada de seus papéis do mercado de ações brasileiro siga em frente.
 
Conforme o fato relevante, a Telmex pretende publicar o edital, dando início à oferta voluntária, no próximo dia 3 de outubro e realizar o leilão na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) no dia 7 de novembro às 13 horas. O preço de aquisição das ações ordinárias e das ações preferenciais da Embratel oferta voluntária será de R$ 6,95 por lote de 1.000 ações ordinárias ou preferenciais, atualizado pela Taxa Referencial (TR mensal, pro rata temporis), desde o dia 8 de maio de 2006 até a data da liquidação financeira da oferta voluntária. A oferta voluntária será estendida aos detentores de ações preferenciais que lastreiam American Depositary Shares (“ADSs”). No momento em que a oferta voluntária for lançada, a Embrapar irá protocolar uma declaração relativa à oferta voluntária na SEC (Securities and Exchange Commission) nos Estados Unidos.

Da Redação

Anterior Operadoras têm projetos aprovados no valor de R$ 1,5 bilhão
Próximos TIM aprova aumento de capital de R$ 56,9 milhões