Coimbra: Política pública de internet prioriza estados nordestinos


INOVAtic NE – O diretor de Banda Larga do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Artur Coimbra, afirmou, nesta segunda-feira (26) que as atuais políticas públicas de internet, todas usando a capacidade do satélite, beneficiam, principalmente, os estados nordestinos, que, segundo a Pnad, são os que mais crescem em número de acessos, mas ainda são os mais carentes. Segundo ele, o satélite geoestacionário da Telebras vai instalar as primeiras antenas em abril na região, beneficiando escolas rurais em locais remotos. Associado a isso, o programa Internet para Todos também terá grande papel na região, assim como o programa Educação Conectada, que também usa o SGDC, que vai levar banda larga de alta capacidade para 4,5 mil escolas públicas.

Coimbra foi um dos palestrantes do INOVAtic Nordeste, promovido pela Momento Editorial em Fortaleza, no painel que discutiu a infraestrutura de banda larga da região. De acordo com ele, existem ilhas de conhecimento em estados nordestinos, como o cinturão digital do Ceará e o aumento do número de cabos submarinos no estado que justificam o crescimento de 12% no número de acessos na região, captados pelo IBGE.

Data center

O presidente da Etice, Adalberto Pessoa, a construção do cinturão digital do Ceará (CDC), com mais de 3 mil km de fibra óptica e 54 estações radiobase, alterou o quadro da internet no estado, que era considerado um serviço ruim, caro e ofertado por poucos players. “Hoje são mais de dois mil pontos de serviços públicos e 90% da população urbana atendida”, disse o executivo em sua palestra no painel.

Os próximos desafios da empresa são de aumentar a capacidade da rede, potencializar a vocação do estado como hub de data center e implementar uma camada de serviços sobre a infraestrutura, como big data e blockchain, facilitando a conexão de redes de Internet das Coisas. Um dos projetos já em andamento é a instalação de videomonitoramento em 42 municípios cearenses, serviço voltado para o aumento da segurança nessas cidades.

O diretor da Agência de Tecnologia da Informação (ATI) do Piauí, Avelino Medeiros, afirmou, por sua vez, que o desafio para levar a banda larga para os 224 municípios do estado será superado por meio de parceria público-privada, que já está em fase final de conclusão. A empresa privada que ficar com a tarefa da construção da rede, em contrapartida, terá concessão de 30 anos e fundo garantidor para evitar perdas.

O secretário de Ciência e Tecnologia da Bahia, José Vivaldo Medeiros Junior, adiantou que o estado investirá R$ 19 milhões na conexão de 550 pontos em órgãos públicos e de pesquisa, por meio de acordo com a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chefs), que cederá capacidade da sua rede. Essa nova rede beneficiará 27 municípios do litoral até o Oeste do estado.

INOVAtic-Nordeste-Feira-de-Negocios-e-Congresso-de-Tecnologias-da-Informacao-e-Comunicacao-26-Marco-2018-Foto-Estudio-Pa-Roniere-Almeida-Rubi-mesa-10

O diretor de Negócios da Padtec, Argemiro Souza, em sua palestra, afirmou que os fornecedores, como a empresa, passaram a ser financiadoras dos pequenos provedores, tal é a demanda por equipamentos de banda larga, que já supera as grandes prestadoras. “Na região Nordeste, os provedores regionais já são responsáveis por 34% dos acessos em banda larga fixa, mas não conseguem financiamento no setor financeiro”, disse.

Já o diretor comercial da Wirelink, Adriano Câmara Marques, disse que o desafio da região, além de apoiar os provedores regionais, é buscar o desenvolvimento de recursos humanos para o setor e visar tecnologias voltadas para Internet para as Coisas (IoT, na sigla em inglês). “O grande gargalo para o crescimento ainda é a falta de investimentos”, ressaltou.

O INOVATIC NE, realizado pela Momento Editorial, contou com o patrocínio de Claro Brasil, Oi, Padtec,, Angola Cables, Banco do Nordeste, Correios, Finep.

Contou também com o apoio de Datacom, Fonnet, Globenet, Mob Telecom, Prysmian Group, Redex, Skylane Optics, Wirelink. E apoio institucional de Abramulti, Abranet, Abrap, Abeprest, Abrint, Brasscom, NEOTV, Softex, TelComp. E Prefeitura de Fortaleza, Governo de Alagoas, Governo do Piauí e Governo do Ceará.

Anterior Finep vai financiar compra de cabo de fibra óptica por provedores
Próximos Comissão Europeia ameaça fatiar o Google