Cobertura rural: Anatel divulga relatório em dez dias


A Anatel promete divulgar, em dez dias, um relatório com a avaliação da cobertura dos distritos rurais com serviços de telefonia e dados. A primeira meta a ser cumprida pelas concessionárias venceu dia 30 de junho – até aquela data, tinham que estar cobertos distritos em 30% dos municípios brasileiros.

Para concluir o levantamento, a Anatel convocou uma reunião com as concessionárias para a próxima terça-feira, 15. “Ao longo do semestre, fizemos várias reuniões para discutir a cobertura rural”, conta Roberto Pinto Martins, superintendente de Controle de Obrigações da Anatel. Tão logo seja concluído o relatório, será iniciado o processo de fiscalização.

De acordo com Martins, nesta primeira fase as concessionárias estão fazendo a cobertura rural por meio das frequências de que dispõe em diversas faixas, via telefonia celular ou mesmo telefonia fixa, com rede construída a partir da estação radiobase. Ele acredita que na segunda fase alguma concessionária poderá usar a frequência de 450 MHz, disponível para a cobertura rural. A frequência não foi utilizada, porque as plataformas ainda estavam em teste nas operadoras.

PUBLICIDADE

450 MHz

Entre os fabricantes de plataformas para a faixa de 450 MHz, as previsões também são mais otimistas. Samuel Lorenti, presidente da WxBR, diz que a fase de testes de campo com as operadoras já foi encerrada e, agora, a empresa se encontra em fase de negociação comercial. Ele acredita que a utilização da faixa de 450 MHz se tornou mais atraente para as operadoras a partir de meados de 2013, quando foi adotada como banda oficial.

“Muita coisa mudou entre 2012, data do leilão, das frequências de 2,5 GHz acopladas com as de 450 MHz. Hoje, a 450 MHz é uma banda oficial; há fabricantes, entre eles a Qualcomm, que darão suporte aos terminais celulares para a cobertura dessa faixa; e o preço dos terminais fixos já está mais competitivo”, informa Laurenti.

Anterior Venda de ações do BES é suspensa em Lisboa
Próximos Governo oficializa a permanência da desoneração da folha