Clientes do ES, RJ, MG e AL recebem alertas de desastres pela TV paga


Foto: Sinclair Maia/Anatel

A Anatel informa que os assinantes de TV por Assinatura dos estados do Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Alagoas passam a contar com serviço de alertas de desastres em sua programação, a partir desta segunda-feira, 23. As mensagens vão alertar a população de desastres como alagamentos, enxurradas, deslizamentos de terra, vendavais, chuvas de granizo, entre outros.

O recurso já está disponível aos assinantes das empresas Claro (NET), Vivo, Oi, Sky e NossaTV, nos estados de Santa Catarina, Paraná e Rio Grande do Sul e até o final do ano estará implantado em todo o País, conforme o seguinte cronograma:

O estado de Alagoas teve seu cronograma de implantação adiantado a pedido do Cenad, em razão do cenário de riscos de afundamento do solo no Bairro Pinheiros, em Maceió, em complemento a outras medidas que vem sendo executadas pelos órgãos competentes na região.

O cliente de TV por Assinatura receberá a mensagem de alerta em formato de um pop-up (imagem sobreposta à tela) com tempo de exposição de 10 segundos, com opção de o assinante fechar o pop-up se desejar.

Não será necessário cadastro por parte dos assinantes indicando interesse em receber as notificações de emergência pela TV paga, nem é possível bloquear o recebimento das mensagens.

A notificação de desastres naturais, via TV por Assinatura, é complementar ao encaminhamento de alertas por mensagem de texto (SMS), para as ocorrências mais graves. O projeto de nacionalização do envio de alertas de emergência via SMS foi concluído em 2017. Ao total, foram disparadas mais de 700 milhões de mensagens para 6,7 milhões de clientes da telefonia móvel de todo o País, entre fevereiro de 2017 e agosto de 2019.

O projeto é coordenado pela Anatel em conjunto com as prestadoras de TV por Assinatura e os órgãos vinculados à Defesa Civil, representados pelo Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad). (Com assessoria de imprensa)

Anterior Governo altera regras de pregões eletrônicos
Próximos STJ diz que ecommerce não precisa estipular multa por atraso na entrega