Claro manterá, em 2009, os investimentos e estratégias de 2008.


A Claro seguirá em 2009 a mesma estratégia adotada em 2008, com foco na expansão da rede 3G e nos serviços de banda larga, continuará apostando na portabilidade numérica e diversificando os canais de vendas. O volume de investimentos também deverá se repetir, cerca de R$ 2 bilhões, segundo o presidente da companhia, João Cox. …

A Claro seguirá em 2009 a mesma estratégia adotada em 2008, com foco na expansão da rede 3G e nos serviços de banda larga, continuará apostando na portabilidade numérica e diversificando os canais de vendas. O volume de investimentos também deverá se repetir, cerca de R$ 2 bilhões, segundo o presidente da companhia, João Cox. “2008 foi um ano muito bom para a Claro, que ganhou mais de 7 milhões de clientes na base e registrou crescimento não só de clientes mas também em cobertura”, comentou hoje, em encontro com jornalistas, em São Paulo. “Nós não estamos reduzindo investimentos”, assegurou Cox, esclarecendo que os recursos irão “majoritariamente” para redes, sistemas e lojas. Lembrou que neste ano, além dos investimentos, a companhia desembolsou R$ 1,4 bilhão no pagamento das licenças adquiridas no leilão da 3G.

No início da semana, o empresário Carlos Slim, da América Móvil, que controla a Claro, declarou no México que irá investir US$ 3 bilhões na expansão dos negócios em telecomunicações na América Latina, em 2009. Perguntando sobre a parcela que caberá ao Brasil, Cox respondeu: “virá o necessário”.

O presidente da Claro acredita que a telefonia celular continuará crescendo a dois dígitos no país (para o tráfego de dados estima crescimento bem maior), no entanto, comentou que a crise econômica mundial pode ter impacto na venda de aparelhos celulares, devido ao câmbio. O setor está trabalhando com a cotação de R$ 2,40, contra R$ 1,70 antes da crise, o que dá um aumento de 50%. “Esse aumento pode representar uma barreira na entrada do aparelho”, observou. Destacou, no entanto, que não está preocupado com a crise, que pode ser “uma oportunidade”, e lembrou que o grupo está entre os três maiores compradores de handsets do mundo.

Cox enfatizou que a Claro sempre apoiou a portabilidade numérica e manterá essa estratégia, com as mesmas campanhas deste ano, que abordam a portabilidade como um direito do cliente. De acordo com Cox, 60% da portabilidade numérica se dará de janeiro a março e, até agora, para cada cliente que a operadora perdeu, ganhou 2,4 clientes. “Nosso foco é a fidelização dos clientes e não a retenção”, comentou Erik Fernandes, diretor de marketing da Claro. “Nossa aposta na portabilidade é de longo prazo”, acrescentou.

Anterior VONO amplia cidades atendidas por VoIP
Próximos Mercado mundial de WiMAX deve diminuir em 2009