Claro lança loja online de música


A Claro anunciou nesta quinta-feira (2) o lançamento do Ideias Musik, loja online que permite a compra de músicas via streaming ou download por pacotes semanais ou mensais, além de compras avulsas. Além do Brasil, o novo serviço está sendo lançado simultaneamente pela América Móvil na Argentina e México.   O uso do Ideias Musik …

A Claro anunciou nesta quinta-feira (2) o lançamento do Ideias Musik, loja online que permite a compra de músicas via streaming ou download por pacotes semanais ou mensais, além de compras avulsas. Além do Brasil, o novo serviço está sendo lançado simultaneamente pela América Móvil na Argentina e México.

 

O uso do Ideias Musik (www.ideiasmusik.com.br) não é exclusivo apenas para clientes da Claro. A loja virtual tem um portfólio com 10 milhões de músicas nacionais e internacionais licenciadas, das quais 4 milhões já estão disponíveis no site e os outros 6 milhões entrarão no ar até o final do primeiro semestre deste ano, e permite que usuários organizem sua biblioteca de músicas, montem playlists e compartilhem em redes sociais, além de contar com notícias e letras de músicas.

 

O site oferece três tipos de planos em que o usuário pode apenas fazer o download, apenas escutar (via streaming, de forma ilimitada), ou, numa combinação dos dois anteriores, fazer download e escutar. Este último está com valor promocional de lançamento: pacote de 5 músicas por semana a R$ 12,99 e pacote de 25 músicas por mês a R$ 21,99, ou seja, cada música sai menos de R$ 1. Além disso, também há a opção de comprar músicas avulsas ou álbuns completos, por R$ 2,99 no caso de músicas antigas e R$ 3,99 no caso de lançamentos. As formas de pagamento podem ser em créditos (para clientes pré-pagos), na conta do celular (clientes pós) ou pelo cartão de crédito, esta última, disponível tanto para clientes quanto não-clientes da operadora. (Assessoria de imprensa)

Anterior GVT disponibiliza gratuitamente o game World of Warcraft para clientes de banda larga
Próximos Dilma promete concluir este ano a revisão do marco regulatório da mídia digital